Subscribe:

terça-feira, maio 24, 2016

Trabalho em equipe


“Então lhes falou muitas coisas por parábolas, dizendo: 'O semeador saiu a semear.'” (Mateus 13:3)

Em contraste com a agricultura do século XXI, a atividade agrícola no primeiro século era muito simples. Um fazendeiro iria plantar suas mudas jogando sementes enquanto caminhava, de uma forma relativamente aleatória. Algumas vezes o vento levaria as sementes. Algumas acabariam nas estradas, outras acabariam em solo cheio de rochas ou ervas. E algumas cairiam em solo fértil e receptivo.

Da mesma forma, somos chamados para lançar as sementes da Palavra de Deus tão longe quanto pudermos e para o maior número possível de pessoas. E não sabemos aonde as sementes estão caindo. Assim como Paulo escreveu aos crentes de Corinto: “Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fazia crescer; de modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho.” (1 Coríntios 3:6-8)

Aqueles que creem e que nem mesmo se conhecem, estão efetivamente trabalhando juntos. Quando os Cristãos saem e compartilham sua fé com outros, estão plantando a semente. Um pouco depois, quando pessoas que ouviram o evangelho encontram crentes que vivem uma vida para Deus, o estilo de vida destes cristãos, de fato, rega a semente que foi plantada. E depois, alguém convida aquela pessoa para um estudo da Bíblia ou para ir a uma Igreja, onde eles ouvem o Evangelho e respondem a Palavra.

As pessoas que plantaram as sementes, que regaram, que colheram, são secundárias. Deus é quem realiza a conversão, mas Ele trabalha através daqueles que creem, que trabalham juntos como um time.

segunda-feira, maio 23, 2016

Cuidado Com o Que Escuta

"Disse o Senhor a Moisés: O coração do faraó está obstinado; ele não quer deixar o povo ir" (Êxodo 7:14)

Qual o momento mais fácil de se obter um coração endurecido? A resposta pode surpreende-lo. Não é passando tempo com pessoas incrédulas ou fazendo coisas sem Deus. O tempo mais fácil de se obter um coração indiferente às coisas de Deus é aquele em que você ouve a Palavra de Deus. É claro que também pode ser um lugar onde seu coração é abrandado. Mas como já disse, o mesmo sol que amolece a cera endurece o barro.

Se você tem uma atitude que diz: "Não quero isso. Não estou ouvindo isso", então seu coração irá crescer duro. A Bíblia diz, “Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente” (Provérbios29:1). A ideia é que a pessoa que tem um coração duro é alguém que ouve a verdade e a rejeita.

Uma boa ilustração disso é a do Faraó. Ele viu milagre após milagre através das mãos de Moisés. E o que lemos? O faraó endureceu o seu coração. Ele viu uma vara se transformar em uma cobra, e endureceu o seu coração. O Nilo se transformou em sangue e ele endureceu o seu coração. Deus enviou pragas de piolhos, moscas e rãs e o Faraó endureceu o seu coração. Finalmente, lemos que Deus endureceu o coração do Faraó. Algumas pessoas ficam confusas com esse detalhe. Como é que o Faraó endureceu o seu coração e então Deus endureceu o seu coração? A resposta é que Deus espera nossa ação e então nos confirma nela. O faraó endureceu o seu coração e Deus o fortaleceu nessa decisão, mesmo sendo errada.

Portanto, tenha cuidado. Você pode obter um coração endurecido enquanto escuta a Palavra de Deus. Tudo depende de como você a escuta. Não deixe isso acontecer com você.

sexta-feira, maio 20, 2016

Alicerces Defeituosos


"Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo." (1 Coríntios 3:11)

Algumas pessoas perdem a fé por terem-na erguido sobre o alicerce errado. Às vezes construímos nossa fé sobre uma igreja. Ficamos apaixonados pela nossa igreja e até assumimos uma atitude de "minha-igreja-é-melhor-que-a-sua". Mas há muitas igrejas ótimas no mundo. E somos todos partes da igreja, não de uma congregação particular.

Podemos também ter um pregador favorito ou gostar mais de um pastor do que de outro. Isso aconteceu até com crentes do primeiro século. O apóstolo Paulo advertiu: "Pois quando alguém diz: 'Eu sou de Paulo', e outro: 'Eu sou de Apolo', não estão sendo mundanos? Afinal de contas, quem é Apolo? Quem é Paulo? Apenas servos por meio dos quais vocês vieram a crer, conforme o ministério que o Senhor atribuiu a cada um" (1 Coríntios 3:4-5).

Não há nada de errado em gostar de certo pastor ou apreciar a igreja da qual se faz parte. Mas não erga o alicerce da sua fé sobre essas coisas. Igrejas decepcionam, pois são mantidas por pessoas. E pessoas cometem erros. Às vezes são mal compreendidas também.

Pastores também decepcionam, pois são humanos como todo mundo. Então, se você erguer o alicerce  da sua fé sobre uma igreja ou sobre um pastor, pode um dia perdê-la, pois essas pessoas talvez venham a fazer alguma besteira.

Escrevendo para a igreja em Corinto, Paulo assinalou: "Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3:11). O que importa é você e Deus. E um dia, quando você estiver diante d'Ele, Ele vai perguntar o que você fez com Jesus — e não se as pessoas que você conheceu que se diziam cristãs se comportavam como tais.

terça-feira, maio 17, 2016

O inimigo do crescimento


"Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:13-14)

Você hoje está satisfeito com a sua vida espiritual? Pois eu não estou satisfeito com a minha. Sinto que tenho que crescer em muita coisa. Sinto que há muitas coisas que ainda preciso aprender e uma série de mudanças que ainda precisam acontecer em minha vida. E sabe de uma coisa? O mesmo é verdade para você.

O inimigo do crescimento é o contentamento. Existe um lugar de contentamento para um cristão, mas nunca se contente com a situação onde você está espiritualmente. Você deve estar sempre querendo mais, querendo aprender mais e crescer mais.

É nesse ponto que as pessoas costumam cair quando o assunto são as suas decisões. Elas simplesmente desistem. Pensam: "não vou conseguir. Vou só aceitar quem sou e onde estou. Vou aceitar as coisas do jeito que elas são". Mas isso não é bom o bastante. Precisamos nos comprometer a superar as barreiras e atingir as metas que estabelecemos se estivermos crescendo espiritualmente ou ficando em melhor forma, para que possamos viver uma vida produtiva para a glória de Deus. Precisamos continuar superando nós mesmos.

O apóstolo Paulo, depois de anos caminhando com Deus, disse: "Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus" (Filipenses 3:12). Parafraseando mais ou menos, Paulo estava dizendo, "Não estou satisfeito com a situação na qual me encontro. Quero continuar crescendo e progredindo espiritualmente".

Então, não se contente com a situação na qual você se encontra espiritualmente. Seja grato a Deus por ter lhe acompanhado até tão longe; mas, ao mesmo tempo, siga adiante em busca do que ainda está à frente.

sexta-feira, maio 13, 2016

Governo do povo, só se for do povo deles!



Alguns insistem em dizer que esse foi o governo do povo. Só se for do povo deles.
Cada vez que escuto "É golpe", sinto raiva.

Golpe é isso:

"Um crime premeditado que  resultou na crise em que estamos enfiados.

Se você ainda não entendeu, é simples:

Ao se ver, às vésperas de um ano eleitoral, sem dinheiro, o governo Dilma deixou de pagar o que devia aos bancos que controla (Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES).

Essa dívida, que arrastaram por 2014 e 2015, chegou a absurdos 60 bilhões.

Aqui valem dois esclarecimentos:

1. Para que se tenha ideia do que representam 60 bilhões, basta entender que o orçamento anual do Governo para segurança, por exemplo, é de 6 bilhões. A Copa inteira, com Estádios construídos e corrupção incluída, custou 30 bilhões.  Percebe o tamanho do buraco?

2. Nenhum governo anterior empurrou uma dívida deste tamanho e por tanto tempo. As antigas pedaladas de Lula e FHC eram de no máximo 2 bilhões, e por alguns meses.

Esses 60 bilhões não pagos aos bancos foram utilizados para, como diz o procurador, "tornar a atuação do Governo mais vistosa em ano eleitoral."

Mas o estratagema não acaba por aí.

Para possibilitar este golpe, o Banco Central não informou ao TCU sobre estes débitos com os bancos estatais.

Veja que não se trata apenas de uma "pedalada como os outros governos fizeram".

Este rombo nas contas públicas foi resultado de um plano de ação. Foi um golpe arquitetado e executado para enganar o povo brasileiro e reeleger Dilma.

(E nem vamos falar da campanha feita com dinheiro do Petrolão).

No fim de 2015, esse buraco de 60 bi foi o responsável por ceifar a confiança interna e externa na nossa Economia.

Como resultado, perdemos as notas de crédito nas agências de risco e, assim, foi para o brejo a competitividade e credibilidade no mercado internacional.

Desemprego e inflação atuais são as consequências mais óbvias no nosso dia-a-dia."