Social Icons

Featured Posts

quinta-feira, maio 28, 2015

Greve dos servidores públicos de SBC: Recuar? Nem pra dar impulso!


Chegamos ao 16º dia de uma greve histórica em São Bernardo do Campo, cidade conhecida como o berço do sindicalismo no Brasil; que viu nascer o Partido dos Trabalhadores - partido que durante anos foi referência das esquerdas no Brasil -; que abrigou Lula - uma das maiores lideranças sindicalistas do país, que veio a se eleger e reeleger presidente do país e sua sucessora por dois mandatos consecutivos - todos eles pelo PT -; que teve entre os ministros do trabalho de Lula também o ex-sindicalista Luis Marinho, que por sua vez se elegeu e reelegeu prefeito de São Bernardo do Campo... 

Por ironia, farsa e tragédia, é nesta cidade, sob o governo do PT de Luis Marinho, que os trabalhadores públicos em greve estão sofrendo uma pressão assediosa para que deixem de fazer greve: boatos plantados por agentes de cargos de confiança do governo; bloqueio do acesso ao hollerih, que deveria estar disponível desde o dia 20; ameaças de corte de ponto e de atribuição de faltas; informações distorcidas... Tudo isso faz parte de um plano cruel e antitrabalhador para desestabilizar o movimento e impor uma derrota por meio do medo.

É preciso que a direção do sindicato determine que a assessoria jurídica  adote medidas preventivas imediatamente, tanto no sentido de apurar e fazer cessar as inúmeras ameaças e assédios que são cotidianamente relatadas por servidores públicos, quanto no sentido de garantir que não haja desconto algum, porque a greve é um direito legal, e qualquer forma de ameaça e punição configura descumprimento desse direito. 

Apurar e efetivar as ações jurídicas e políticas para fazer cessar os assédios, perseguições e ameaças é fundamental para dar maior segurança e transmitir maior confiança aos trabalhadores que, apesar de tudo, seguem unidos e assim continuarão seguindo nesta luta.

O governo quer impor uma derrota aos servidores. O medo, a implantação de boatos, a restrição ao acesso à folha de pagamento e a proliferação de informações distorcidas estão entre suas estratégias mais cruéis. 

Se a ameaça de corte de ponto se concretizar, o PT de São Bernardo do Campo e seu prefeito entrarão para  história como aqueles que colocaram o último punhado de areia sobre a história do Partido dos Trabalhadores como partido do campo das esquerdas, que luta pelos direitos dos trabalhadores e pelo fortalecimento das organizações populares e sindicais. Não temos dúvida que reverteremos eventuais descontos na justiça, já o Partido dos Trabalhadores de SBC jamais conseguirá se reerguer politicamente.

Ao manter sua postura intransigente, o prefeito reeleito pelo PT, que é apadrinhado político de Lula, alinha-se a todo espectro político que um dia disse que combatia: alinha-se à política do PSDB dos governadores tucanos Beto Richa do Paraná, e Geraldo Alckmin de São Paulo - que representam na política nacional o que há de mais retrógrado, ultrapassado e maléfico para a população e para a classe trabalhadora.

Colocar seu nome e do já maculado Partido dos Trabalhadores na mesma lista dos refugos da história e dos traidores da classe trabalhadora é de uma atitude absurdamente grotesca. Para quem foi sindicalista por anos, a insistência em fazer guerra contra os trabalhadores demonstra apenas que o prefeito não aprendeu nada com suas experiências, a não ser assimilar a prática e o discurso do patronato - demonstra, com isso, que há tempos saiu do lado do oprimido e passou para  lado do opressor.

Atender as reivindicações dos servidores públicos seria uma vitória não apenas para os trabalhadores, mas politicamente seria uma vitória do próprio governo que aproximaria as bases que há anos afastou. 

No entanto, a julgar pelas estratégias usadas desde quando assumiu o governo, o prefeito continua apostando na divisão dos trabalhadores. Por isso, os servidores públicos precisam afirmar ainda mais a unidade e manter ao nível máximo a sua capacidade de reflexão crítica. 

Se os boatos que circulam se concretizarem enquanto constraproposta do governo, o PT de São Bernardo estará simplesmente propondo aos servidores públicos que, depois de 16 dias de greve, abram mão de absolutamente todos os itens de nossa pauta de reivindicações, inclusive da reposição da inflação e do aumento real!!! Isto seria uma derrota política, mas sobretudo econômica contra os trabalhadores, pois sem reposição da inflação e sem aumento real nossos salários perderão ainda mais drasticamente o poder aquisitivo, e acumularemos perdas do ano passado, deste ano e de parte do próximo ano

Precisamos ficar alertas, pois aumento real e reposição incidem sobre décimo terceiro, licença prêmio, ferias e senhoridade, potencializando nossos ganhos salariais. Abonos não! 

Além disso, não podemos esquecer os demais itens da pauta da campanha salarial. Os servidores públicos não podem continuar pagando para trabalhar, e continuar trabalhando em condições precárias, sem estrutura e equipamentos adequados - situações estas que estão levando os servidores a abandonarem o serviço público de SBC, e - os que permanecem - adoecerem cada vez mais sem ter a possibilidade de um atendimento médico decente, pois o nosso IMASF está falindo e os servidores associados à Greenline coninuam igualmente abandonados às traças.

Cair no canto da sereia governamental é uma demonstração de que o funcionalismo público não aprendeu nada com essa greve, nem com a experiência que os servidores da educação tiveram na luta pelo estatuto da educação.

Não podemos ceder às chantagens! Foco nas pautas da campanha salarial! Não estamos exigindo nada além do básico para garantir condições de vida e de trabalho e que possibilitem melhorias na qualidade do serviço público.

Em 2013, quando o governo dizia que não tinha orçamento para investir nos salários dos servidores - e deu 0% de aumento, ou seja, não deu aumento!!! -, algumas semanas depois aumentou os salários de prefeito, vice-prefeito, secretariado e vereadores em 64,8%!!! 

Por isso, não podemos adotar o falso discurso do governo, que diz por aí que não tem dinheiro para pagar o funcionalismo. Dinheiro tem de sobra! Um orçamento de 5 bilhões e os gastos com folha de pagamento estão bem longe de se aproximar do limite permitido por lei (estamos em torno de 36%, e os gastos podem chegar a aproximadamente 51%)!!!

Se precisar cortar gastos, que o governo diminua do salário e auxílios e verbas de gabinetes etc e tal do prefeito, vice-prefeito, secretariado e cargos comissionados. Aliás, que diminua a quantidade de cargos comissionados! Assim, vai sobrar dinheiro até para oferecer uma merenda completa às crianças, jovens e adultos matriculados nas escolas públicas deste município.

VAMOS À ASSEMBLEIA HOJE, 28/05, ÀS 18H PARA DIZER AO GOVERNO MARINHO QUE OS SERVIDORES PÚBLICOS DE SÃO BERNARDO CONTINUAM FIRMES, FORTES E UNIDOS NA LUTA.

NÃO ACEITAREMOS DISCUTIR NENHUMA PROPOSTA SEM A GARANTIA DO PAGAMENTO DOS DIAS PARADOS! 

NÃO ACEITAREMOS NENHUMA PROPOSTA QUE DIVIDA A CATEGORIA!

NÃO ENTRAMOS NESSA GREVE COM UMA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PARA SAIR DELA SEM NENHUM PONTO SER ATENDIDO!

NENHUM TRABALHADOR FORA! NENHUM DIREITO A MENOS!!! 

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!

União gay na Irlanda é 'derrota da humanidade', diz Vaticano

Publicado Originalmente no Bol

O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, afirmou nesta terça-feira (26) que ficou "muito triste" com a aprovação do casamento gay na Irlanda por meio de um plebiscito realizado na última sexta (22).   

Segundo o religioso, a Igreja Católica deve "ter consciência dessa realidade", buscando reforçar o seu empenho na evangelização. "Acho que não podemos falar apenas de uma derrota dos princípios cristãos, mas também de uma derrota da humanidade", declarou Parolin.   

A legalização do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo no país europeu recebeu 62,1% dos votos na consulta popular. Com isso, a Irlanda se tornou a primeira nação do mundo a aprovar a união entre homossexuais via plebiscito.   

"A família continua sendo central e devemos fazer de tudo para defendê-la e promovê-la. O futuro da humanidade e da Igreja, ainda mais frente a certos acontecimentos que ocorreram nos últimos dias, continua sendo a família. Atingi-la é a mesma coisa que tirar a base do edifício do futuro", acrescentou o secretário.   

Atualmente, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é aceito em mais de 20 países, sendo 13 deles na Europa.   

Embaixador - Parolin também comentou a polêmica envolvendo o candidato a embaixador da França na Santa Sé, Laurent Stefanini, que teria tido suas credenciais recusadas pelo fato de ser gay.   

De acordo com o cardeal, o diálogo com Paris "permanece aberto".   

"Esperamos que isso possa ser concluído de maneira positiva", afirmou, sem dar mais detalhes. Stefanini foi indicado pelo presidente François Hollande em janeiro passado, mas até agora não foi aceito pelo Vaticano. 

Há um bagre em seu tanque?


“Meus irmãos, não se admirem se o mundo os odeia.”1 João 3:13.
Eu ouvi uma história sobre alguns fornecedores de peixes que estavam tendo problemas ao transportar bacalhau da costa leste.Quando chegavam à costa oeste, estavam estragados. Eles os congelaram, mas ao chegar, estavam amolecidos. Então decidiram enviá-los vivos, mas eles chegavam mortos.
Enviaram novamente, mas com uma diferença, incluíram um catfish (espécie de bagre) em cada tanque. Note que o catfish é inimigo natural do bacalhau. Ao chegarem, os bacalhaus estavam vivos e saudáveis, porque tinham passado a viagem fugindo do catfish. Esta é a questão. T
alvez Deus tenha colocado um peixe no aquário para mantê-lo vivo e bem espiritualmente. Isso se chama provação.
Talvez haja uma pessoa no trabalho que sempre traga perguntas difíceis para você sobre as coisas espirituais.
Talvez seja aquele vizinho que lhe dá trabalho em virtude da sua fé em Jesus Cristo. Talvez seja um cônjuge ou um membro da sua família que não acredita…
Você se pergunta por que isso acontece. É como um catfish.
Essa pessoa mantém você se mexendo.
Pouco antes de Sua crucificação, Jesus disse aos discípulos: “Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia.” (João 15:19).
Deus permitirá provação na vida do crente.
Se você estiver enfrentando uma, aqui vão duas coisas para se lembrar:
#1. A provação confirma que você é um filho de Deus;
#2. A provação faz você se chegar mais perto de Jesus.
Quando você está sofrendo perseguição por sua fé, lembre-se: este mundo não é a sua casa. ‪#‎RenúnciaDiária‬ ‪#‎PenseNisso‬

Desanimo!




Diante da dificuldade, não desanime!
Às vezes, sua chave abre o primeiro cadeado!
Às vezes, sua chave abre nenhum!
Às vezes, você nem tem chave!
O que fazer se o fator "chave" falhar???
Chame o CHAVEIRO!
Pule o portão!!! 
Se não vencer a dificuldade, 
ao menos dará boas risadas!!!


Em último caso, quebre o cadeado com marreta! 
Desistir é um verbo a ser ignorado no dicionário!!!

Previsão do salário mínimo para 2016 aumenta mais R$ 1 e vai a R$ 855

Nelson Barbosa anunciou que governo
piorou o cenário de crescimento para 2016
| Wilson Dias/Agência Brasil
Fonte: Metro com Reuters
O governo piorou o cenário de crescimento para 2016 reduzindo para 1%, ante 1,3%, a previsão de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) para o próximo ano, segundo dados do Ministério do Planejamento apresentados nesta quarta-feira pelo titular da pasta, ministro Nelson Barbosa.
Durante apresentação na Comissão Mista de Orçamento, Barbosa informou que o governo elevou em R$ 1 a previsão do volar do salário mínimo, para R$ 855 a vigorar no próximo ano, ante o valor anterior de R$ 854. A meta nominal de R$ 126,73 bilhões de superavit primário para 2016 também foi ajustada em proporção ao PIB a 2,02% frente à equivalência anterior de 2

Unaminidade na Discordância

Quem escreve em jornal está sujeito a receber palavras de aprovação e de reprovação. Quando o articulista registra seu e-mail nos textos, fica implícito que se dispõe a acolher as mensagens dos leitores. Não fosse essa pré-disposição, omitiria o endereço eletrônico, pois a Redação não exige que o mesmo seja revelado. De minha parte, quando os temas que abordo são polêmicos, pululam opiniões contraditórias. Habitualmente respondo as abordagens com boa vontade e prazer. Por diversas vezes aprimorei escritos a partir de críticas recebidas.
Quando o assunto por sua natureza comporta divergências, as contestações me tranquilizam e me dão a segurança de que estou sendo lido por pessoas que pensam.
O iconoclasta Nelson Rodrigues disse, com acerto, que toda unanimidade é burra. De fato, a unanimidade é sempre preocupante. Mas faço uma ressalva. Há unanimidades que, se conquistadas num clima de liberdade, debate e contestação, representam avanço ético.
A mim o que incomoda é a unanimidade sem aprofundamento, a unanimidade que se contenta com uma análise parcial dos fatos e despreza o desdobramento que os fatos podem ter. O que me repugna é a unanimidade obtida através do silenciamento das consciências e da pretendida cassação da inteligência, é a unanimidade que a voz única, proferida de Norte a Sul, de Leste a Oeste, pode alcançar.
Causa-me mal estar a acusação sem defesa, o monopólio da fala por uma corrente de opinião, o decreto da verdade.
A desconfiança é uma virtude. Quando todos falam exatamente a mesma coisa é prudente desconfiar, ir fundo, descobrir arestas.
É lamentável quando alguns fatos são enclausurados numa manchete, numa frase sonora, numa palavra de ordem unida (virar à direita, virar à esquerda, descansar armas). Perde-se a oportunidade de um avanço na visão crítica do povo.
Que sabedoria a Ciência Jurídica transmitiu à Civilização quando estabeleceu o princípio do contraditório como um dos fundamentos do Direito. Nenhum réu pode ser julgado sem defesa e a defesa deve ser ampla, geral e irrestrita.
O princípio do contraditório não prevalece apenas no processo judicial. Ele deve ser acolhido e praticado no debate politico, religioso, ideológico e das questões sociais.
Quando todos apontam o dedo de condenação contra alguém que foi escolhido como Inimigo Público Número Um, não nos deixemos enganar pela manobra. Procuremos encontrar, onde for possível, a opinião divergente, o voto favorável ao indigitado Inimigo Público. Ainda que, no final, nos convençamos de que a maioria está certa, nossa adesão à opinião majoritária terá sido fruto do pensamento livre e não da imposição dos que querem fazer de nós cordeiros obedientes.
João Baptista Herkenhoff, Livre-Docente da Universidade Federal do Espírito Santo, é Juiz de Direito aposentado e escritor. E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2197242784380520

quarta-feira, maio 27, 2015

Quase um Cristão!

“Então Agripa disse a Paulo: ‘Você acha que em tão pouco tempo pode convencer-me a tornar-me cristão?'” (Atos 26:28)
Quase é uma palavra interessante. Uma palavra que usamos, às vezes, quando estamos atrasando alguma coisa, quando não estamos completamente prontos para um comprometimento. Talvez você tenha ido a um restaurante, onde o menu fosse do tamanho de uma pequena agenda telefônica. Quando o garçom chegou à sua mesa e perguntou se você já havia decidido o que iria pedir, você tenha dito: “Bem, quase.”

Usamos esta palavra quando não temos certeza sobre alguma coisa.

Também usamos “quase” quando estamos atrasados. Por exemplo, se o marido e a mulher estão saindo para jantar e ele pergunta se ela está pronta para sair, ela vai dizer: “Bem, quase.”
Usamos “quase” para uma série de situações, mas existem certas palavras que não combinam com ela, como em “quase grávida.” A mulher está grávida ou não está. Outra palavra que não funciona com quase é “vencer”. Ou você vence ou não vence. O vencedor é o vencedor, então você não pode quase vencer.

Mais uma palavra que não combina com a palavra quase é “cristão”. Ou você é um cristão ou não é. Você pode estar bem no seu caminho para se tornar um cristão, olhar para as reivindicações de Cristo e investigá-las. Mas você não pode ser um quase cristão.

Quando o apóstolo Paulo apresentou o evangelho a Herodes Agripa, ele disse: Você quase me persuadiu a tornar-me cristão (Atos 26:28). Quase. Ele estava perto, mas não o suficiente. Aparentemente, Herodes Agripa foi movido pela apresentação poderosa e persuasiva de Paulo do evangelho; mas, em seguida, ele se virou e afastou-se dela. Ele foi o quase cristão.

Acho que há um monte de gente como Herodes Agripa nos dias de hoje: quase cristãos que pensam que são cristãos, quando na verdade não o são.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Blogger Templates