sexta-feira, julho 22, 2016

Pela Graça, Não Pelo Lugar

"Jesus respondeu: 'Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja'. E naquele mesmo instante a sua filha foi curada." (Mateus 15:28)

A fé é frequentemente encontrada em lugares improváveis. A Bíblia conta a história de uma mulher pagã que foi elogiada por Jesus em razão de sua grande fé. Ela não foi criada como uma judia, conhecendo as Escrituras. Ela certamente não teve o privilégio de andar e falar com Jesus como os discípulos tiveram. Esta mulher havia sido criada em um lar sem Deus, em uma casa cheia de ídolos, mas com o pouco que sabia sobre Jesus, colocou em prática uma fé dramática. Poderíamos até mesmo descrevê-la como uma fé surpreendente.

Alguém poderia pensar que a fé mais forte teria vindo de um dos discípulos de Jesus, como Pedro, Tiago ou João. Mas ela veio dessa mulher pagã. A outra única vez que Jesus citou a fé de alguém como um exemplo foi quando um centurião romano - outro gentio - pediu para Ele curar seu servo.

Às vezes, se você tiver crescido dentro de uma igreja, se tiver sido criado em um lar cristão ou ido a uma escola cristã, você pode não dar a isso o devido valor. E, ao invés do seu coração ser transformado, pode tornar-se duro. Tudo se resume à forma como você escuta.

É por isso que Jesus frequentemente dizia: "Aquele que tem ouvidos, ouça!" (Mateus 11:15) Você decide como vai reagir ao que ouve. Espero que você não vá à igreja por pressão ou coerção, porque seu cônjuge ou seus pais querem. Espero que você não pense que indo à igreja ou a estudos bíblicos vá ganhar o favor de Deus. Se você vem com essa atitude para um lugar onde sua vida deveria ser transformada, você pode ficar com o coração endurecido e perder o foco.

É pela graça, não pelo lugar, que um cristão se desenvolve.
Compartilhar:

quinta-feira, julho 21, 2016

Ore com persistência

"Todo o que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei." (João 6:37)

Algumas vezes as pessoas dirão: “Simplesmente não sou digno de me aproximar de Deus.” Odeio discordar dessa frase, mas nunca fomos dignos. Não somos dignos. E nunca seremos dignos. Então, vamos parar com isso. Não se trata de dignidade. Trata-se da graça de Deus.

Você acha que é mais digno para Deus quando lê a Bíblia todos os dias e ora regularmente que quando estraga as coisas, tem um pensamento impuro ou diz algo indelicado? Não nos aproximamos de Deus com base em nosso merecimento. Nós nos aproximamos de Deus com base na Sua graça.

Quando a mãe pagã se aproximou de Jesus, implorando para Ele expulsar o demônio de sua filha, ela não disse: "Eu sou justa." Pelo contrário, disse: "Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!" (Mateus 15:22). Nunca diga “Deus, realize justiça comigo,” porque o inferno é o que você merece. Ao contrário, diga: “Tenha misericórdia de mim,” assim como essa mulher falou a Jesus. Jesus disse: "Todo o que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei." (João 6:37)

Então, qualquer que seja o seu problema, leve-o até Jesus. O que quer que você esteja enfrentando, não chegará até Ele como uma surpresa. E quando você orar, procure encontrar qual a vontade de Deus. A razão pela qual Jesus deu àquela mulher tudo o que ela pediu foi porque ela alinhou o seu desejo ao desejo Dele. Achamos o desejo de Deus através da leitura da Palavra de Deus, a Bíblia. Então, vamos entender melhor o coração, a mente e o propósito de Deus.

Ore de acordo com a vontade de Deus e não desista. Ore com persistência. Pode parecer que Ele não está escutando, mas pode haver uma barreira que Ele quer que você enfrente. Portanto, não volte para trás.
Compartilhar:

Obstáculos as oraçoes

"Vejam! O braço do Senhor não está tão curto que não possa salvar, e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá." (Isaías 59:1-2)

Uma das razões pelas quais nossas orações podem não ser respondidas são os pecados não confessados em nossas vidas. Nada faz uma oração empacar mais rapidamente do que um pecado não confessado. O Salmo 66:18 diz: "Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria". E Isaías nos fala: "Vejam! O braço do Senhor não está tão curto que não possa salvar, e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá" (Isaías 59:1-2).

O problema é que já não chamamos o pecado por esse nome. Chamamos de fraqueza, erro, limitação ou doença. Mas por que não chamá-lo do que ele verdadeiramente é — um pecado? E por que não admitir que ele existe? Por que não pedir que Deus nos perdoe, enquanto nos afastamos desse pecado? Se não lidarmos com os nossos pecados, Deus não ouvirá as nossas orações.

Idolatria, ou pôr algo de nossas vidas num lugar de proeminência acima do próprio Deus, também pode ser empecilho à oração. Em Ezequiel 14:3, Deus diz: "Filho do homem, estes homens ergueram ídolos em seus corações e puseram tropeços ímpios diante de si. Devo deixar que me consultem?"

Existe alguém ou alguma coisa que seja mais importante para você do que o próprio Deus? Se houver, esse algo ou alguém são capazes de tornarem-se um ídolo. Qualquer objeto, ideia, filosofia, hábito, ocupação ou esporte que tenha lugar principal em sua atenção e lealdade — ou que diminua em qualquer grau sua confiança e lealdade para com Deus — é capaz de tornar-se um ídolo. E pode impedir que suas orações sejam respondidas.
Compartilhar:

Igrejas alemãs vão oferecer Wi-Fi gratuito para atrair fiéis

Juliana Américo, no Olhar Digital
A região da ex-Alemanha Oriental é lar do maior número de ateus no mundo, sendo que somente 8% da população afirma acreditar em Deus. Além disso, o cristianismo deve se tornar uma minoria religiosa no país nos próximos 20 anos.
Para reverter essa situação, as igrejas protestantes locais desenvolveram um plano para atrair as pessoas de volta: oferecer Wi-Fi gratuito em todas as igrejas na antiga Alemanha Oriental.
O projeto de distribuir o “Godspots” prevê conectar 220 igrejas em Berlim e expandir para 3 mil igrejas, centros comunitários e instituições religiosas nos próximos meses. A iniciativa também é uma comemoração antecipada do 500° aniversário da Reforma Protestante de Martinho Lutero, que acontece no ano que vem.
“As pessoas não estão menos espirituais do que antes, mas o ponto da Reforma era que a igreja precisa evoluir continuamente”, diz Christoph Heil, porta-voz do projeto. “Queremos mostrar que os edifícios da igreja ainda pode ser locais de encontro para a comunicação.”
Se o Godspot atinge o seu objetivo, no próximo ano, a igreja protestante pode se tornar um dos maiores provedores de Wi-Fi aberto em toda a Alemanha.
Apesar de ser uma das nações mais industrializadas e a quarta maior economia do mundo, a Alemanha fica para trás quando se trata de acesso público a conexão Wi-Fi. O país tem cerca de 15 mil hotspots de Wi-Fi livre, o que equivale a um para cada 10 mil pessoas. Em comparação, nos Estados Unidos o número de pontos de conexão por pessoa se multiplica por cinco, enquanto no Reino Unido esse valor é 28 vezes maior.
A culpa disso é uma lei que responsabiliza a pessoa ou empresa que opera um hotspot por qualquer coisa ilegal que alguém faça em sua rede. Por exemplo, se alguém em um café com Wi-Fi gratuito baixa uma música na internet, o dono do estabelecimento pode ser processado por pirataria.
dica do Rogério Moreira
Compartilhar:

Uma simples verdade

"Eles dirão: 'O que houve com a promessa da sua vinda? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação'." (2 Pedro 3:4)


Certa vez fui convidado a participar de um programa de rádio onde um professor me questionava sobre o tema da volta de Cristo. Eu disse que acreditava que Jesus Cristo está voltando, enquanto ele dizia que temos sempre escutado isso. Então eu disse: "Senhor, eu afirmo que você mesmo é um cumprimento da profecia bíblica. Sua própria atitude é um dos sinais dos tempos."

Ele me pediu para explicar, então li para ele 2 Pedro 3:3-4, que diz: "Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões. Eles dirão: 'O que houve com a promessa da sua vinda? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação'."

Sim, ouvimos a mensagem de que Cristo está voltando. E ao longo dos anos algumas coisas aconteceram com imenso significado profético, incluindo a dramática escalada de guerras mundiais e o terrorismo, o impulso para a unidade do mundo ou o que é muitas vezes referida como a globalização, a mudança na economia mundial em direção a uma sociedade sem dinheiro, o sem precedentes aumento de terremotos, e o falso ensino permeando a igreja, levando a uma grande apostasia.

O que é significativo é o efeito cumulativo, a convergência do crescimento de tantos sinais, de modo que me obrigam a perguntar: Somos a geração que verá o retorno de Cristo? A Escritura compara isso a uma mulher que tem dores de parto (veja 1 Tessalonicenses 5:3).

Há alguma discordância entre os cristãos sobre a ordem dos eventos proféticos, mas há uma simples verdade sobre a qual não pode haver divisão: Jesus Cristo em breve voltará.
Compartilhar:

28/07 - Uso e abuso de álcool e outras drogas a luz da saúde pública

Caro(a),

O Projeto Desigualdade Regional e as Políticas lhe convida a participar do nosso 1º encontro de 2016, a ser realizado no dia 28 de julho, cujo tema será "Uso e abuso de álcool e outras drogas." O evento contará com a participação de 5 convidados, sendo um de cada uma das cinco regiões do país, que serão mediados por um professor da UFABC.

O evento é gratuito e as inscrições poderão ser realizadas através desse link: http://goo.gl/forms/yNH7UJW5ZxBK7LPo1

Haverão certificados de participação.

Data do evento: 28 de julho, quinta-feira, das 14h00 às 18h00
Local de realização: UFABC São Bernardo do Campo - Alameda da Universidade, s/n°, Bairro Anchieta - São Bernardo do Campo, SP

Atenciosamente,

EQUIPE DRPP 2016

Prof. Dr. Artur Zimerman
Coordenador do projeto


Apoio estudantil:
Fellipe Brancaccio
Igor Crispim
Kevin Campos Correia
Leila Lira
Lucas do Vale Moura
Área de anexos
Compartilhar:

quarta-feira, julho 20, 2016

Continue orando

"E ele prosseguiu: 'Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas'." (Daniel 10:12)


Em algum momento você já orou sobre algo e não teve resposta do céu? Você já orou muito sobre alguma coisa e parecia que Deus não estava ouvindo a sua oração? Deixe-me dizer-lhe então que Ele está ouvindo. E pode haver uma série de razões para Ele não lhe responder tão rapidamente quanto você desejaria.

Uma furiosa batalha espiritual pode estar acontecendo sem que você saiba. Há um reino sobrenatural que funciona bem ao lado do reino natural. Há uma parede fina que nos divide. E neste mundo sobrenatural, quando oramos, há coisas que acontecem sobre as quais geralmente sabemos muito pouco.

No Livro de Daniel, encontramos uma história fascinante em que Daniel está orando e um anjo lhe aparece. O anjo disse: "Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias. Então Miguel, um dos príncipes supremos, veio em minha ajuda, pois fui impedido de prosseguir ali com os reis da Pérsia." (Daniel 10:12-13). Então o que ele explicou a Daniel foi a razão da demora para que a oração de Daniel fosse respondida: "Vinte e um dias atrás, a sua oração foi ouvida no céu e uma resposta foi enviada. Eu estava trazendo a resposta e fui parado por um demônio de alta hierarquia que se opôs a mim. Então, o grande arcanjo Miguel foi enviado para me livrar desse impedimento. Só então fiquei liberado para trazer a resposta a você."

Se você está orando por alguma coisa e não recebe uma resposta tão rapidamente quanto deseja, talvez uma batalha espiritual esteja sendo travada. Então, basta lembrar o seguinte: atrasos de Deus não são necessariamente respostas negativa d'Ele. Só porque uma resposta não veio tão rapidamente quanto você gostaria, não significa que ela nunca virá. Por isso, continue orando.
Compartilhar:

terça-feira, julho 19, 2016

A Importância da Fé

"E ficavam escandalizados por causa dele. Mas Jesus lhes disse: 'Só em sua própria terra e em sua própria casa é que um profeta não tem honra.' E não realizou muitos milagres ali, por causa da incredulidade deles."  (Mateus 13:57-58)

A bíblia tem muito a dizer sobre a temática da fé. Ela fala sobre a fé, sobre a fé forte, a fé genuína, a fé rica, a fé permanente, a fé firme, a fé preciosa, a fé comum, a fé trabalhadora e a fé obediente. E ainda fala da fé morta. Então devemos querer ter certeza de que estamos usando todos os tipos de fé que Deus nos deu.

A bíblia define a fé como: "a substância das coisas esperadas, a evidência das coisas não vistas" (Hebreus 11:1 - tradução original). A Nova Tradução coloca dessa forma: "a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos" (Hebreus 11:1)

Gálatas 3:11 diz: "o justo viverá pela fé". Ela não diz que ele viverá pelo sentimento. Tampouco diz que viverão pelas circunstâncias. O justo viverá pela fé. E a fé pode fazer a diferença entre algo que pode, ou não, acontecer.

Deus é quem trabalha, mas Ele escolhe trabalhar principalmente através de meios humanos. Por exemplo: Deus poderia soberanamente ter feito o mar vermelho se abrir para fazer partir os israelitas sem a ajuda de Moisés. Mas, ao contrário, Ele pediu para Moisés levantar seu cajado em um ato de fé, enquanto as pessoas cruzavam o mar. Deus poderia ter posto fogo no altar do Monte Carmelo sem a oração de Elias, mas Ele pediu a Elias para que ele desse um passo de fé e orasse. Jesus poderia ter curado todas as pessoas vivas quando caminhou pela terra, mas podemos observar que foram principalmente aqueles que O procuraram pela fé que receberam o toque da cura. A bíblia ainda diz que Jesus: "não realizou muitos milagres ali (no seu próprio país), por causa da incredulidade deles". (Mateus 13:58)

Então a fé pode fazer toda a diferença.
Compartilhar:

quinta-feira, julho 14, 2016

Simplesmente Peça Ajuda


"Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: 'Homem de pequena fé, porque você duvidou?' Quando entraram no barco, o vento cessou." (Mateus 14:31-32

Às vezes sentimos vergonha em admitir a Deus que precisamos de ajuda. Sentimos como se pudéssemos resolver as coisas por nós mesmos. Mas clamar a Jesus é o que devemos fazer. Não devemos ter vergonha disso.

Quando Pedro veio caminhando sobre a água em direção a Jesus e começou a afundar, provavelmente isto não tenha sido uma surpresa para Jesus. Ele sabia quem Pedro realmente era, mas também sabia quem Pedro viria a ser. Ele não se limitou a vê-lo pelo que ele era. Viu-o também pelo que ele viria a ser. E é assim também que Deus nos vê.

Jesus sabia que Pedro iria falhar, não só nesta situação, mas também mais tarde, quando o negaria. Na verdade, Jesus chamou a atenção de Pedro em uma ocasião (vejaLucas 22:31-32). Portanto, o fracasso de Pedro não foi uma surpresa para Jesus.

E quando Pedro estava afundando, a Bíblia nos diz que "imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: 'Homem de pequena fé, porque você duvidou?' Quando entraram no barco, o vento cessou." (Mateus 14:31-32).

A Bíblia não diz que Jesus carregou Pedro de volta. Eles entraram no barco, o que significa que Pedro se levantou e caminhou com Jesus sobre a água, mais uma vez, de volta para o barco. E para onde Jesus levou Pedro e os discípulos? De volta à terra.

Teremos momentos milagrosos em nossas vidas, experiências de chegar ao topo de montanhas. Mas experiências de chegar ao topo de montanhas nos preparam para os vales da vida. Águas calmas nos preparam para as tempestades. 

Talvez você esteja afundando agora. Talvez esteja tomado por medo, preocupação e derrota. Siga o exemplo de Pedro: clame a Jesus. Ele não vai repreender uma pessoa que tenta vir até Ele pela fé.
Compartilhar:

quarta-feira, julho 13, 2016

Não há lugar para medo

"'Venha', respondeu Ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre a água e foi na direção de Jesus. Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: 'Senhor, salva-me!'" (Mateus 14:29-30)

Pedro e os outros discípulos haviam enfrentado a fúria das ondas e do vento durante toda a noite, quando Jesus apareceu para eles, caminhando sobre as águas. Querendo provar sua coragem a Jesus, Pedro fez uma declaração surpreendente: "Senhor, se és Tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas" (Mateus 14:28). Aqueles eram mares revoltos e Pedro estava disposto a andar, literalmente, sobre o mar, porque estava olhando para Jesus. Isso deu-lhe confiança e coragem.

Foi bem por algum tempo até que Pedro começou a afundar. E por que ele afundou? Porque tirou os olhos de Jesus e os colocou em outras coisas. A Bíblia nos diz: "quando reparou no vento, ficou com medo" (versículo 30).

Circunstâncias podem ser assustadoras. Quando seu chefe lhe chama e diz que a empresa tem de reduzir gastos e o demite, quando o médico lhe mostra os resultados dos exames e lhe dá más notícias, quando você abre a carta de um advogado que lhe informa que você está sendo processado, isto pode lhe assustar. Pode devastar você. E isso pode fazer você desviar os olhos de Jesus.

Onde o medo reina, a fé é expulsa, mas onde a fé reina, o medo não tem lugar. Fé e medo não se misturam. Caminhando na fé, o medo sai pela porta dos fundos. Mas se você convidar o medo para residir em sua vida, você deixará a fé distante.

Pedro tinha fé. Ele tinha os olhos em Jesus. Ele estava fazendo o impossível. Ele começou a afundar, porque tirou os olhos de Jesus. Ele olhou para o vento. No nosso caso, pode ser outra coisa, mas sempre que deixamos de focar em Deus, começamos a afundar.
Compartilhar:
Proxima  → Inicio