Visitantes On LIne

This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

sexta-feira, agosto 14, 2015

Como mudar

“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.” (Tiago 1:22)
Se você não precisa mudar, então talvez não precise da Bíblia. Se está tudo certo com você, se não tem dúvidas ou conflitos na sua vida, se sente que sua vida é perfeita, então você não vai se interessar pela Bíblia.
Mas se você é como a maioria das pessoas e está ciente de suas fraquezas e inadequação, se está ciente da necessidade que tem de Deus, então ficará agradecido em saber que a Palavra de Deus é perfeita e pode transformá-lo; que pode ajudar você a se tornar a pessoa que Deus lhe chamou para ser.
Salmo 19:7 fala que a Palavra de Deus nos transforma: “A lei do Senhor é perfeita, e revigora a alma. Os testemunhos do Senhor são dignos de confiança, e tornam sábios os inexperientes.” A palavra “revigora”, também pode ser traduzida como “converte”, “restabelece”, “transforma”. Quando você lê a Palavra de Deus, isso vai converter você. Vai lhe restabelecer. Vai lhe transformar.
Mas ler a Bíblia não é o suficiente. É preciso compreender a Palavra, para então obedecê-la. Tiago 1:22-24 nos fala: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.”
Como um espelho, a Bíblia expõe os erros em nossas vidas. Nos mostra algo que devemos fazer, algo que devemos corrigir. E se não o fizermos, somos como alguém que olha neste reflexo do espelho, mas não acata o que enxerga. O mesmo acontece quando não aplicamos a Palavra de Deus em nossas vidas.

quarta-feira, julho 29, 2015

Vitória


"E cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz, e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz." (Colossenses 2:14-15)

“Consumado” é a palavra que usamos para definir um trabalho que está concluído. É uma palavra que diz que não precisamos mais trabalhar, pois está terminado. “Consumado” é também a palavra utilizada por Jesus na cruz. Ele falou: “Está consumado!” (João 19:30). Em outras palavras: “Está concluído!”.

O diabo foi totalmente vencido na cruz do Calvário e isto é algo que ele não quer que saibamos. Referindo-se a Sua crucificação, Jesus falou: “Chegou a hora de ser julgado este mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo” (João 12:31). Por Sua morte Jesus destruiu aquele que possuía o poder da morte, o diabo. Quando colocamos nossa fé em Jesus Cristo, o estrangulamento do diabo é quebrado. Ele não pode nos controlar. Podemos descansar no trabalho concluído de Cristo.

Isso significa que quando enfrentamos batalhas espirituais, não estamos lutando por vitória; estamos lutando a partir da vitória. Não lutamos para alcançar a vitória. Lutamos porque a vitória já foi obtida. Não precisamos orar: "Senhor, dê-me a vitória". Ao invés disso, deveríamos orar: "Senhor, eu tenho a vitória e vou viver de acordo com ela". Conforme Romanos 8:37 nos fala: "Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou."

Podemos vencer na batalha espiritual. Podemos superar o inimigo. Não estou falando que vamos vencer todo e qualquer conflito, mas que vamos vencer a batalha. Não estou falando que nunca vamos pecar e cair, pois todos nós iremos cair. Mas podemos vencer a batalha como um todo, pois estamos ao lado da verdade de Cristo.

Então, quando o inimigo tentar desferir aquele golpe mortal contra você, não há dúvida que será repelido, pois estamos ao lado de Deus.

terça-feira, julho 28, 2015

Um a verdadeira oração

Me ensine a chorar
Me ensine a chorar lágrimas de sangue
quando eu estiver em angústia
Me ensine o silencio
e me de forças para carregar a cruz
sem dizer uma única palavra
Me ensine o brado dado antes da morte
Me ensine a escuridão da natureza
quando o seu coração parou de bater
Me ensine a esquecer o ensinamento daqueles
que me disseram como recosturar o véu
Me ensine a largar as pedras que apedrejam a pecadora
Me ensine que somos todos pecadores
Me ensine a agradecer pelo pelos poucos pães
que alimentam a multidão
E me de sabedoria para eu me dar conta
de que não foi necessário pedir por mais pães
Me ensine a morrer
e eu suplico
suplico aprender a ver o vinagre como doce
Suplico aprender com a sede sentida na cruz
Suplico aprender com a fome no deserto
E que eu possa ser digno de aprender a esquecer tudo
aquilo que a religião me ensinou
Eleva meu espirito a cima dos templos
Eleva minha oração a cima de mamom
Me ensine a tirar a sandália dos pés
E que eu possa orar a cada dia pelo pão da vida
ao invés de pedir pelo pão da religião e dos homens
Me ensina a arte de sentir o teu incenso
e o namoro apaixonado renovado a cada dia
que eu olho nos seus olhos
Eleva a minha vida para que eu possa ver o seu reflexo
quando eu olho no espelho de manhã
Que eu possa acreditar na sua presença
quando eu contemplar o céu
E que a minha mão seja arrancada
antes que eu consiga terminar de pintar o seu retrato na minha carteira
Que algum dia eu possa ter a honra
de te fazer sentir o cheiro da fogueira
que queimará a minha carne
Peço que eu possa ser chamado de herege pela religião
e finalmente te peço que algum dia eu possa
ter a honra e o privilegio de ser chamado
Imitador de Cristo

Força na Fraqueza


"Mas ele me disse: 'Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.' Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte." (2 Coríntios 12:9-10)

Por que Deus permite dificuldades? Por que Deus permite doenças? Por que Deus permite tragédias?
Podemos passar horas perguntando por quê, mas nem sempre podemos responder a essas perguntas. No entanto, ouça o que o apóstolo Paulo disse enquanto ele explicava porque as dificuldades foram permitidas em sua vida:

Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi-me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar. Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. (2 Coríntios 12:7-8).

Não sabemos o que o “espinho na carne” de Paulo era. A maioria dos teólogos acredita que era algum tipo de deficiência física que Paulo provavelmente adquiriu após um de seus vários espancamentos ou apedrejamentos. Qualquer que fosse o seu “espinho na carne”, o diabo queria usá-lo para desanimar Paulo. E deu certo. Só que Paulo ficou de joelhos e chamou por Deus.
O diabo queria dirigir Paulo para longe de Deus mas, em vez disso, o apóstolo se agarrou ainda mais em Deus.

Quando passamos por sofrimentos e dificuldades, podem ser momentos muito difíceis. Eu nunca tive uma época mais difícil em minha vida do que os últimos 19 meses. No entanto, a comunhão que tive com Deus nunca foi mais doce. Nunca tinha sido tão dependente d'Ele. Há momentos em que acho que não conseguirei lidar com isso e então, Deus me dá a força que preciso. Aprendi coisas que não teria aprendido em qualquer outro lugar. Não sei o “por que” de tudo isso, mas confio em Deus, agarro-me a Deus, e dependo d'Ele.

- Você está enfrentando dificuldades e sofrimentos hoje?
Derrame seu coração para Deus. Ele é digno de confiança.

Cuidado do câncer no Brasil é tardio e insuficiente, aponta relatório


Publicado Originalmente no Uol 
Cerca de 60% dos pacientes com câncer são diagnosticados já em estágio avançado no Brasil e, no caso de câncer de pulmão, 87,9% dos casos são descobertos tardiamente. O diagnóstico depois que a doença se espalhou foi identificado como uma das principais barreiras enfrentadas pelos pacientes no acesso ao tratamento, seja pela falta de centros especializados, pelas longas esperas para consultas com médicos especialistas ou pela demora na realização de exames.
Esses dados foram compilados por cerca de 50 entidades brasileiras de combate ao câncer. O movimento Todos Contra o Câncer, que organizou o relatório, tem o objetivo de colaborar com a elaboração de políticas públicas e aponta caminhos para compilar melhor os dados de atendimento ao câncer e criar novos protocolos de saúde. O relatório foi entregue ao Ministério da Saúde na sexta-feira (24) e lançado oficialmente na segunda (27). 
Segundo o documento, o tempo médio de espera entre o diagnóstico e o início dos tratamentos com quimioterapia e radioterapia, é de 76,3 e 113,4 dias, respectivamente. Uma lei de 2012 assegura o início do tratamento no SUS de pessoas com câncer em um prazo de até 60 dias após o diagnóstico com laudo patológico. Segundo uma auditoria feita pelo TCU (Tribunal de Contas da União) para avaliar a Política Nacional de Atenção Oncológica, apenas 65,9% da demanda por radioterapia foi atendida no país em 2010.
"A área de oncologia tem despertado grandes preocupações devido ao crescente impacto econômico sobretudo em função do diagnóstico tardio (...) que onera o SUS com despesas que poderiam ser evitadas com a prevenção ou diagnóstico precoce", pontua o relatório.
O diagnóstico tardio e o atendimento falho (falta de leitos, de medicamentos, descredenciamento de clínicas por convênios) causa, segundo as entidades, um aumento na mortalidade do câncer no Brasil além de um maior gasto com repetidas internações, necessidade de procedimentos e medicamentos de alta complexidade e atualização constante dos valores pagos por serviços médicos.
Judicialização
A judicialização é apontada como uma uma nova porta de acesso ao SUS. Hoje, por causa do caráter universal do SUS, quando o convênio ou o governo não fornecem um tratamento ou medicamento, os pacientes podem entrar na Justiça e muitos ganham a causa e conseguem que o procedimento seja pago.
Entre 2009 e 2014, os gastos do Ministério da Saúde com as sentenças judiciais subiram 1.400%, chegando a R$ 1 bilhão gastos anualmente, segundo o relatório.
"Se somarmos os gastos dos estados com sentenças judiciais fica evidente que o poder judiciário tem se tornado uma segunda porta de acesso ao SUS e ao sistema suplementar, especialmente devido à não disponibilidade no SUS de medicamentos imprescindíveis e ao excesso de burocracia no sistema público, tanto nas licitações para compra de medicamentos como no pedido administrativo do paciente para sua obtenção", explica o documento.
Novos medicamentos e pesquisas
O Brasil falha ainda, segundo o documento, na agilidade para aprovar os protocolos de pesquisa e novos medicamentos, apesar de avanços recentes como no caso da criação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC), em 2011.
Há demora também na aprovação de novos medicamentos e novas terapias. "O número de análises e aprovações aumentaram consideravelmente desde 2012, mas o número de processos indeferidos ainda é bastante elevado, tendo como alegação a falta de comprovação científica e de eficácia", pontua.
O SUS e os planos de saúde
Hoje há 50,6 milhões de beneficiários de planos privados de assistência médica, ou seja, 25% da população possui cobertura de planos de saúde. Mesmo assim, de acordo com dados do Datafolha de 2014, 92% dos brasileiros buscaram acesso a algum serviço do SUS nos últimos dois anos.
Na área da oncologia, os convênios avançaram em muitos aspectos, como por meio da incorporação do quimioterápico oral, da inclusão de exames e procedimentos de alta complexidade, e da incorporação de novos medicamentos. No entanto, ainda com relação aos medicamentos, os beneficiários de planos de saúde ainda buscam o SUS, uma vez que, muitas vezes, não conseguem ter a demanda atendida no plano.
Quando se consegue acesso ao tratamento, muitos pacientes, familiares e profissionais da saúde relatam que os médicos são orientados ou mesmo pressionados por gestores, tanto públicos quanto privados, a não prescreverem determinados procedimentos ou medicamentos por causa do valor. Há ainda relatos de que são fixadas dosagens inferiores às estipuladas nos protocolos clínicos para reduzir os custos para a instituição. O relatório aponta ainda que diversos médicos já denunciaram terem seus cadastros excluídos dos planos de saúde por prescreverem tratamentos de alto custo.
A doença
O câncer representa uma das principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, com cerca de 14 milhões de novos casos e 8,2 milhões de mortes em 2012. O número de novos casos ainda deverá aumentar em cerca de 50% nas próximas duas décadas e, se nada for feito, em 2030 serão 21 milhões de novos casos e 14 milhões de mortes, sendo que a maior parte ocorrerá nos países em desenvolvimento.
As Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNTs), entre elas o câncer, são responsáveis por aproximadamente 68% das mortes no mundo e 74% das mortes no Brasil
O câncer é atualmente a segunda principal causa de morte no Brasil, atrás apenas das doenças cardiovasculares. Em 2012, foram 191.577 óbitos por câncer, conforme dados do Ministério da Saúde. Quanto à incidência, em seu último levantamento em 2014, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estimou 576.580 novos casos de câncer, sendo 302.350 em homens e 274.230 em mulheres.

sexta-feira, julho 24, 2015

Os donos de igrejas não são possuidores da sua alma, liberte-se!


Escrevo este artigo para realçar uma triste realidade em que funestos governos eclesiásticos através de seus “pastores feudais” empurram garganta abaixo de seus liderados tolhidos e fadados um sistema de mesmices e descalabros, uma cultura de exploração e de extrapolação de direitos sob disfarçada forma religiosa (não é religiosa, pois em sua ligadura há uma mistura carnal e maligna). 

Quando um suposto líder usa dos meios de sua influência para obter fins de proveito próprio, temos então a caracterização de abuso de poder e muitos abandonaram o ministério cristão para tornarem-se nos donos da igreja local. E todos nós sabemos que isso ocorre dos piores modos em algumas denominações evangélicas, convenções de ministros; ministérios locais e igrejas.

A aplicabilidade do termo “poder” em sua variada semântica denota autoridade, domínio, controle, influência e até imposição. Os homens em suas diversas organizações necessitam de governo equilibrado, boa liderança e voz de comando mansa. Na democracia a indispensabilidade da ordem e do progresso está intimamente ligada ao exercício do poder por um indivíduo ou instituições que assegurem a detenção e equilíbrio do mesmo. 

A igreja não é uma democracia, mas em alguns sistemas  os membros têm voz ativa e devem participam do exercício deste poder deliberativo de conduzir a igreja para o seu melhor nos aspectos espiritual, evangelístico, administrativo e social.

Por conta do pecado há inculcado nos recônditos da natureza humana uma aspiração pelo poder a qualquer preço; só nos libertamos desta introjeção quando Cristo torna-se o Senhor de nosso eu. Lúcifer perdeu sua posição original porque também se deixou corromper pelos devaneios do poder. Para exemplificar a reflexão, permita-me descrever-lhes uma pequena e pertinente estória que venha retratar despretensiosamente realidades de muitos crentes por este Brasil afora.

- Numa produtiva reunião de obreiros locais, o mais audacioso dos pastores da pequena congregação percebeu que os seus posicionamentos intrépidos exerciam influência sobre a vida de outros obreiros do pequeno ajuntamento. A simples descoberta despertou-o a perspicazmente incubar um futuro sistema de autoritarismo, cabresto ideológico e ditadura religiosa através de suas mensagens e instruções. O esperto demagogo em seu projeto de agregação portava-se como um líder imediato, arrojado e promissor para o futuro da comunidade. O tempo passou e a congregação cresceu. O sutil pastor do próprio ego conseguiu convencer os irmãos a pedirem a emancipação eclesiástica. Assim; enfim alcançou os intentos de sua maior ambição pessoal – tornar-se o pastor presidente da nova igreja sede. Na medida em que a tenra matriz desenvolvia e expandia-se através de suas congregações emergentes por todos os bairros da cidade; ardilosamente um esquema calculista de perpetuação no poder era dissolvido no estatuto e regimento interno da recente igreja matriz que naqueles dias experimentava uma verdadeira ebulição espiritual.

O calendário é ininterrupto e em poucos anos a dita “presidência da igreja” extinguiu as assembleias de membros, de forma que as decisões mais importantes estavam subordinadas ao famigerado colégio pastoral composto somente pelos seus parentes. 

As cavilações, vaidades e costumes do “dono da obra” tornaram-se padrão de vida para os membros. Sua arrogância foi assimilada como unção, sua presunção como autoridade e seu disfarçado e engenhoso plano de poder como visão ministerial avançada. 

Uma tirania dominou o prelado espiritual (de espiritualidade nada mais lhe restava) que no desequilíbrio de seu comportamento de imposição e sem medir conseqüências massacrou a “chamada oposição” que não se curvava frente ao cetro de sua descabida monarquia de autoritarismo. Ou todos eram vassalos de manobras ou prisioneiros de uma masmorra de depreciação espiritual – não havia pra onde correr e muito menos como escapar.

O bispo do poder em sua posição marcial fez com que diáconos, presbíteros (cargos locais) e até oficiais (evangelistas e pastores) fossem depostos de suas funções e os últimos relegados a meros ocupantes das cadeiras do púlpito – já que não tinham oportunidade para mais nada. Pelos retrovisores do tempo a imagem do outrora pastor arrojado foi encoberta por uma poeira de ganância e por uma avidez pela supremacia que culminou em um tipo cruel de ditadura eclesiástica. No fim da estrada, a carruagem daquele pastor-rei chegou a seu castelo de ideais maquiavélicos e de arguta estratégia, cujo propósito era o de enfraquecer o corpo de obreiros e controlar o ministério através da convergência de poderes centrados na autoridade do patriarca da igreja. A cultura enxertada pela ditadura do “manda quem pode e obedece quem tem juízo”, configurou uma igreja não senhora de si mesma, subordinada a um tipo de subserviência que aceitava e aplaudia o déspota e arrogante proprietário daquele engenho eclesiástico.

Quero crer que a postagem seja útil no despertar de consciências para uma igreja local forte, soberana e livre para servir a Deus sem paredões de egoísmos episcopais, reconhecendo os verdadeiros pastores e pondo fora os obreiros do mal ou mesmo saindo dessas igrejas controladas por homens gananciosos.

quinta-feira, julho 23, 2015

Campanha: Doe um brinquedo no Natal!

Publicado Originalmente no Blog Geekiss
Hey geeks!
Hoje vim falar de uma coisa diferente aqui no blog. Apesar de não parecer, isso aqui ainda é um “blog pessoal”, então vim compartilhar um pouco do meu Natal com vocês, e também apelar a quem puder/quiser ajudar :) Então se você não tem interesse nenhum em saber da minha vida ou não comemora o Natal, pode parar a leitura por aqui hahaha!
Há 24 anos a minha família distribui brinquedos para as crianças de um bairro muito humilde de Ibiúna, uma cidade do interior de São Paulo. Minha avó era costureira, e antes de falecer estava com um pequeno projeto em andamento para presentear as crianças da vizinhança no Natal. Quando minha mãe e minha tia foram separar as coisas para doar à uma igreja, acharam dezenas de roupas que ela estava fazendo para dar de presente. Então elas terminaram de costurar as blusinhas e shorts, colocando elásticos e fazendo os acabamentos, juntaram uns saquinhos de bala, e foi assim a primeira distribuição de presentes no bairro do Paiol Pequeno.
O que foi a princípio apenas para cumprir um desejo da minha avó, ao longo dos anos acabou virando uma tradição no bairro, e o número de crianças foi crescendo muito. Famílias inteiras vêm de bairros mais distantes e crianças começam a formar uma fila em frente à garagem da casa por volta das 5h da manhã, mesmo sabendo que só chegamos muito mais tarde. As vezes está muito sol, as vezes está chovendo, mas a fila está sempre lá. Atualmente, distribuímos presentes para cerca de 300 crianças. As crianças que ganhavam presentes em 1991 agora trazem no colo seus próprios filhos para receber o presentinho de Natal, assim como avós pedem para levar para seus netos, e muitos adultos pedem, meio sem jeito, para levar uma lembrancinha para eles mesmos.
Cá entre nós, esse post vale a pena só pela quantidade de fotos idosas, tipo eu com sei lá, 12-13 anos, o meu primo vestido de “ajudante do papai noel”, etc. Hahahaha ainda que eu não digitalizei as fotos realmente antigas, mas quem sabe um dia. xD
Pérola de Natal: Ami e Fernando pirralhos e à carater! hahahaha
HAHAHAHA OLHA A MINHA CARA
Eu não conheço outra forma de passar o dia de Natal, a minha vida inteira foi assim. Acordar, carregar os brinquedos e doces nos carros e ir para Ibiúna entregá-los. Chegando lá, nós distribuimos os brinquedos em prateleiras, como uma “vitrine” e deixamos as crianças entrarem aos poucos para escolher o seu presente. Poderíamos simplesmente distribuir um para cada um, mas gostamos de deixar as crianças terem escolha, afinal, elas não tem muitas oportunidades de escolher alguma coisa no resto do ano.
Nos últimos anos temos recebido a ajuda de alguns amigos, mas mesmo assim está cada vez mais difícil de “dar conta” de tantas crianças, que aumentam a cada ano. Mesmo que os presentes sejam simples, como bonecas, carrinhos, bolas, panelinhas e outras coisinhas, como somos apenas uma família “agindo por conta própria” – isto é, sem a ajuda de alguma instituição, colaboradores, etc – nos preocupamos em ter presentes e doces para todos que batem à nossa porta. Todos os anos, imaginamos como melhorar a qualidade dos presentes, mas como o número de crianças continua crescendo, acabamos fazendo o que cabe no orçamento.
Então este é o meu apelo: Se você tiver brinquedos em bom estado para doar, bichinhos de pelúcia, bola, bonecos, carrinhos, qualquer outra coisa que estejam em bom estado e que queira passar para uma criança neste Natal, nós aceitamos com muito, muito, muito apreço!
Somos de São Paulo, por isso fica mais fácil combinar de receber as doações de quem mora por aqui, mas quem for de outros lugares e quiser ajudar também, entrem em contato! :)
Quem quiser/puder colaborar de alguma maneira, veja os detalhes abaixo no update deste ano! hahahaha <3
Enfim, era isso! Desculpem pelo post “nada a ver” com o blog, mas o Natal já está chegando e não podemos esquecer dos pequenos geeks que não tem a oportunidade de ter gadgets legais como nós, né?
Kissus!

[update de 2013]

Agora fizemos uma Vakinha online, pra quem quiser contribuir com qualquer quantia a partir de 5 reais :) O link para a “vaquinha” está aqui em baixo.
Pra quem não acompanhou, a Vakinha de 2013 foi um suuuper sucesso! Conseguimos arrecadar o suficiente para comprarmos mais de 150 brinquedos, muito obrigada a todos que ajudaram a fazer o natal das crianças de Ibiúna mais feliz!

[/update 2013]

[update 2014]

Este ano temos um vídeo novo! Um amigo da minha tia, Gui Missumi, foi acompanhar a distribuição dos presentes do ano passado e fez um video com depoimentos dos meus pais e imagens do natal! Yaaaay!
E o link da Vakinha deste ano está aqui: http://www10.vakinha.com.br/VaquinhaE.aspx?e=289779 para quem quiser/puder doar! Quem for daqui de São Paulo e quiser/puder doar brinquedos usados, bichinhos de pelúcia, etc,  é só entrar em contato aqui nos comentários ou lá nas inbox da fanpage!

[/update 2014]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...