segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O privilégio de doar

“Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.” (Mateus 6:21)

Foi Martinho Lutero que disse há três conversões necessárias: a conversão do coração, a conversão da mente e a conversão do bolso. Mas para a maioria de nós, a última é muitas vezes a mais difícil.

Você pode dizer muito sobre uma pessoa pelas doações que ela faz ou pelas que deixa de fazer. Você pode dizer muito sobre alguém, dando uma olhada no seu talão de cheques, porque ele vai revelar muito sobre os seus valores reais.
Por que? Porque Jesus disse: “onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.” (Mateus 6:21).

Existe um ditado que diz deveríamos “doar até doer”; mas, na realidade, o que deveria acontecer é doer quando deixamos de doar. Devemos ter em mente quão grande privilégio é poder fazer uma doação.

Isso é também um teste da nossa fidelidade a Deus. Jesus disse: “Assim, se vocês não forem dignos de confiança em lidar com as riquezas deste mundo ímpio, quem lhes confiará as verdadeiras riquezas?” (Lucas 16:11).

Antes que Deus nos confie a responsabilidade espiritual, Ele quer ver como fazemos com os recursos financeiros e bens temporais que Ele colocou aos nossos cuidados.

À medida que damos generosamente, Deus também dará generosamente para nós. Como damos a Ele do que temos recebido, ele vai atender às nossas necessidades.

Isso não quer dizer que estejamos fazendo algum tipo de acordo com Deus, estipulando que à medida que damos a Ele, Ele deve dar de volta para nós de forma multiplicada. Esse seria um motivo errado.

sábado, 15 de novembro de 2014

Um Ano Novo farturento proceis


Com a simplicidade de um coração repleto de gratidão pela da vida, fazemos nossas as palavras contidas neste singelo vídeo .São os votos da FAMILIA MASSA.  #FelizAnoNovo

17 e 18/11 – Congresso A IGREJA E A CIDADE

Saúde e Paz Queridos!
Nos dias 17 e 18/11, será realizado o Congresso a Igreja e a Cidade, será uma oportunidade para aprender sobre Teologia para uma realidade multicultural urbana.
No congresso estão programadas algumas oficinas, que são muito relevantes para o contexto urbano.
  • Desenvolvimento Comunitário
  • População de Rua
  • Sustentabilidade (meio ambiente)
  • Formação de Rede
  • Geração de Renda
  • Capelania Escolar
  • Controle social & políticas públicas
  • Negritude
  • Mobilização de Igreja & Comunidade
Para fazer a inscrição clique no link abaixo você poderá preenchê-lo on-line:
Custo: 40,00 reais incluso almoço e cofee break, para quem for pernoitar 85,00 reais.
Agende esta data e espero ve-los lá.
Pr. Domingos Massa
Love people, Love God




Campanha: Doe um brinquedo no Natal!

Publicado Originalmente no Blog Geekiss
Hey geeks!
Hoje vim falar de uma coisa diferente aqui no blog. Apesar de não parecer, isso aqui ainda é um “blog pessoal”, então vim compartilhar um pouco do meu Natal com vocês, e também apelar a quem puder/quiser ajudar :) Então se você não tem interesse nenhum em saber da minha vida ou não comemora o Natal, pode parar a leitura por aqui hahaha!
Há 24 anos a minha família distribui brinquedos para as crianças de um bairro muito humilde de Ibiúna, uma cidade do interior de São Paulo. Minha avó era costureira, e antes de falecer estava com um pequeno projeto em andamento para presentear as crianças da vizinhança no Natal. Quando minha mãe e minha tia foram separar as coisas para doar à uma igreja, acharam dezenas de roupas que ela estava fazendo para dar de presente. Então elas terminaram de costurar as blusinhas e shorts, colocando elásticos e fazendo os acabamentos, juntaram uns saquinhos de bala, e foi assim a primeira distribuição de presentes no bairro do Paiol Pequeno.
O que foi a princípio apenas para cumprir um desejo da minha avó, ao longo dos anos acabou virando uma tradição no bairro, e o número de crianças foi crescendo muito. Famílias inteiras vêm de bairros mais distantes e crianças começam a formar uma fila em frente à garagem da casa por volta das 5h da manhã, mesmo sabendo que só chegamos muito mais tarde. As vezes está muito sol, as vezes está chovendo, mas a fila está sempre lá. Atualmente, distribuímos presentes para cerca de 300 crianças. As crianças que ganhavam presentes em 1991 agora trazem no colo seus próprios filhos para receber o presentinho de Natal, assim como avós pedem para levar para seus netos, e muitos adultos pedem, meio sem jeito, para levar uma lembrancinha para eles mesmos.
Cá entre nós, esse post vale a pena só pela quantidade de fotos idosas, tipo eu com sei lá, 12-13 anos, o meu primo vestido de “ajudante do papai noel”, etc. Hahahaha ainda que eu não digitalizei as fotos realmente antigas, mas quem sabe um dia. xD
Pérola de Natal: Ami e Fernando pirralhos e à carater! hahahaha
HAHAHAHA OLHA A MINHA CARA
Eu não conheço outra forma de passar o dia de Natal, a minha vida inteira foi assim. Acordar, carregar os brinquedos e doces nos carros e ir para Ibiúna entregá-los. Chegando lá, nós distribuimos os brinquedos em prateleiras, como uma “vitrine” e deixamos as crianças entrarem aos poucos para escolher o seu presente. Poderíamos simplesmente distribuir um para cada um, mas gostamos de deixar as crianças terem escolha, afinal, elas não tem muitas oportunidades de escolher alguma coisa no resto do ano.
Nos últimos anos temos recebido a ajuda de alguns amigos, mas mesmo assim está cada vez mais difícil de “dar conta” de tantas crianças, que aumentam a cada ano. Mesmo que os presentes sejam simples, como bonecas, carrinhos, bolas, panelinhas e outras coisinhas, como somos apenas uma família “agindo por conta própria” – isto é, sem a ajuda de alguma instituição, colaboradores, etc – nos preocupamos em ter presentes e doces para todos que batem à nossa porta. Todos os anos, imaginamos como melhorar a qualidade dos presentes, mas como o número de crianças continua crescendo, acabamos fazendo o que cabe no orçamento.
Então este é o meu apelo: Se você tiver brinquedos em bom estado para doar, bichinhos de pelúcia, bola, bonecos, carrinhos, qualquer outra coisa que estejam em bom estado e que queira passar para uma criança neste Natal, nós aceitamos com muito, muito, muito apreço!
Somos de São Paulo, por isso fica mais fácil combinar de receber as doações de quem mora por aqui, mas quem for de outros lugares e quiser ajudar também, entrem em contato! :)
Quem quiser/puder colaborar de alguma maneira, veja os detalhes abaixo no update deste ano! hahahaha <3
Enfim, era isso! Desculpem pelo post “nada a ver” com o blog, mas o Natal já está chegando e não podemos esquecer dos pequenos geeks que não tem a oportunidade de ter gadgets legais como nós, né?
Kissus!

[update de 2013]

Agora fizemos uma Vakinha online, pra quem quiser contribuir com qualquer quantia a partir de 5 reais :) O link para a “vaquinha” está aqui em baixo.
Pra quem não acompanhou, a Vakinha de 2013 foi um suuuper sucesso! Conseguimos arrecadar o suficiente para comprarmos mais de 150 brinquedos, muito obrigada a todos que ajudaram a fazer o natal das crianças de Ibiúna mais feliz!

[/update 2013]

[update 2014]

Este ano temos um vídeo novo! Um amigo da minha tia, Gui Missumi, foi acompanhar a distribuição dos presentes do ano passado e fez um video com depoimentos dos meus pais e imagens do natal! Yaaaay!
E o link da Vakinha deste ano está aqui: http://www10.vakinha.com.br/VaquinhaE.aspx?e=289779 para quem quiser/puder doar! Quem for daqui de São Paulo e quiser/puder doar brinquedos usados, bichinhos de pelúcia, etc,  é só entrar em contato aqui nos comentários ou lá nas inbox da fanpage!

[/update 2014]

Através dos Olhos de Deus

"Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor." (Mateus 9:36)

Em qualquer lugar que Jesus fosse, Ele era muito procurado. Havia sempre uma multidão ao Seu redor, o que era compreensível pois Ele era Deus em forma humana caminhando pela rua.

Todos queriam alguma coisa. Havia aqueles que queriam simplesmente tocá-lo, como a mulher que havia gastado todo o seu dinheiro com médicos, tentando ser curada, mas sem sucesso. Quando ela tocou a orla de Seu manto, foi restaurada e curada. 

Há a história da mulher siro-fenícia que trouxe seu filho endemoniado a Jesus e a história de Jairo, que veio e pediu a Jesus para curar sua filha doente. 

Todo mundo precisava de algo, mas Jesus sabia que eles precisavam mais do que apenas uma cura, mais do que apenas um toque e mais do que apenas uma palavra. Ele sabia que a necessidade mais profunda estava em suas almas. 

Vemos isso demonstrado em várias ocasiões. Apesar de Sua agenda extremamente ocupada, Ele saiu do Seu caminho para atender a uma mulher samaritana em uma pequena cidade onde estava o poço de Jacó, mesmo que ela não soubesse que tinha um compromisso com Deus. Ela foi até o poço naquela hora do dia, porque era rejeitada socialmente. 

Às vezes, ficamos com raiva quando as pessoas fazem coisas erradas. Não só odiamos o pecado, mas acabamos odiando o pecador também. 

No entanto, Deus quer que entendamos que apesar do pecado, o pecador é amado por Deus. Talvez ninguém nunca disse a ele que existe outra maneira de viver. 

Que Deus nos dê olhos para ver este mundo como Ele o vê.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Gentileza gera gentileza

gentil
Maurício Zágari
Tenho uma tristeza em meu coração que cresce a cada dia, mas já falo sobre isso. Antes permita-me trazer à memória uma recordação de infância. Lembro-me de quando era criança e, no caminho para a escola, passava por baixo do agora demolido elevado da Perimetral, na região do cais do porto do Rio de Janeiro. Pela janela do ônibus eu constantemente via uma figura solitária, que estava sempre presente: um senhor idoso, de barbas grandes e roupas extravagantes, que escrevia palavras nas pilastras do enorme viaduto. Eu não sabia na época, mas aquele homem, chamado José Datrino, viria a ser conhecido como “Profeta Gentileza”. Não tenho como contar sua história neste post, mas se desejar saber mais sobre essa figura icônica do Rio dos anos 1980, pode ler mais AQUI. Enfim, o que chamava atenção nas suas inscrições era que ele escrevia muitas frases desconexas, mas uma expressão nunca faltava: “Gentileza gera gentileza”. Em meio aos seus devaneios, provavelmente aquele homem não sabia que estava dizendo uma verdade bíblica; verdade essa replicada em passagens como:
“A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira” (Pv 15.1);
“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venhama ser filhos de seu Pai que está nos céus” (Mt 5.43-45);
“Não retribuam mal com mal, nem insulto com insulto; ao contrário, bendigam; pois para isso vocês foram chamados, para receberem bênção por herança” (1Pe 3.9);
“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios” (Rm 12.10);
“Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram. Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior.Não sejam sábios aos seus próprios olhos.  Não retribuam a ninguém mal por mal” (Rm 12.15-17).
“O seu falar seja sempre agradável e temperado comsal, para que saibam como responder a cada um” (Cl 4.6).
E por aí vai.
A tristeza que carrego em meu coração é por ver que a sociedade em que vivo está muito distante do ideal do Profeta Gentileza. Que, como vimos, reflete os ideais das Escrituras sagradas. E me refiro à sociedade como um todo: cristãos e não cristãos. Sinceramente, não sei o que está acontecendo ou como chegamos a esse ponto: vejo meus irmãos em Cristo refletirem uma agressividade difícil de compreender. É como se xingar, ofender e não perdoar tivessem se tornado virtudes do evangelho. Sei que já falei sobre este tema aqui no APENAS, mas a cada novo dia vejo tantas situações que me assombram quanto a isso que não tenho como deixar para lá.
gentileza2Acabei de ler um livro que fala exatamente sobre esta questão: a importância da gentileza no trato com quem discorda de nós. Não posso dizer o nome do livro nem o autor, por haver questões éticas envolvidas, mas posso relatar que é uma obra que mostra como a forma que tratamos quem discorda de nós é tão ou mais importante do que os argumentos que apresentamos. Isso se aplica a qualquer circunstância da vida: evangelismo, discussão apologética ou no simples trato diário. A conclusão é simples e óbvia, mas parece que nos esquecemos disso, sabe-se lá por quê: se pregamos as verdades do evangelho com agressividade, ofensas, sarcasmo e outras formas horríveis de se comportar, nosso procedimento desqualifica aquilo que dizemos. Isso está errado, muito errado, e precisamos urgentemente resgatar a vivência da gentileza na nossa rotina. Devemos tratar quem diverge de nós com afeto. É indispensável que sejamos corteses e gentis com quem não acredita no que acreditamos ou mesmo com quem acredita mas comete erros. Temos de ser menos implacáveis. Caso contrário, nossas palavras serão cristãs, mas nosso comportamento será diabólico.
Em grande parte, a culpa disso é de certos líderes. Pessoas que se posicionam com palavras agressivas de quem discorda de si, que usam de sarcasmo, ofensas, ódio… e muitos de nós, por admirarmos tais líderes, achamos que esse comportamento é válido. Se é o seu caso, escute: NÃO É. Esses líderes estão errados. Muito errados. Totalmente errados. E não devemos imitá-los. Se um líder cristão usa termos ofensivos para se referir a quem discorda dele em questões político-partidárias, doutrinárias ou teológicas, ele não está seguindo o exemplo de Cristo. Temos de ser mansos e humildes de coração. Temos de temperar nossas palavras com sal. Cristãos agressivos não são sal da terra e luz do mundo, são insossos e trevas. Desculpe ser tão incisivo, mas essa é verdade. Muitas vezes o mundo nos acusa de destilar ódio, e muitas vezes o mundo acerta ao afirmar isso, pois temos, sim, sido odiosos em muitas situações.
As últimas eleições revelaram o pior de nós. Fiquei estarrecido de ver como muitos cristãos se posicionaram nas redes sociais. Na verdade, fiquei envergonhado. Tive vontade de gritar: “Eu concordo com o que eles dizem mas discordo totalmente da forma como dizem! Esse temperamento explosivo e esse comportamento odioso não me representa!”. Recentemente, vi no facebook pessoas se referirem a uma cantora evangélica com adjetivos inacreditáveis pelo fato de ela ter cometido uma gafe durante uma pregação (detalhe: posteriormente, ela se retratou e pediu perdão). Li cristãos chamarem essa irmã em Cristo de “boçal”, “idiota” e outras coisas do gênero, sem perceber que estavam agindo de modo absolutamente anticristão na escolha de suas palavras e no ódio que transmitiam. E, se dos lábios sai o que está cheio o coração, o que esse tipo de verborragia revela sobre o nosso coração?
Meu irmão, minha irmã, precisamos parar e refletir sobre como temos nos comportado, o que temos falado, como temos nos sentido com relação a quem discorda de nós. E isso em todas as arenas: político-partidária, doutrinária, teológica, pessoal, profissional, ministerial… não importa. Ou amamos de fato em nosso modo de nos relacionarmos ou para nada mais servirmos exceto para sermos jogados fora e pisados pelos homens. Não importa como os outros se comportam, importa como VOCÊ se comporta. Faça sua parte. Não conseguiremos mudar toda uma multidão raivosa, mas se você conseguir mudar a si mesmo, repensar como tem se posicionado e deixar a agressividade para viver a gentileza que gera gentileza… os céus se alegrarão e os anjos farão festa. Ser um cristão agressivo é uma contradição. Perceber o erro, arrepender-se e mudar de rumo é o evangelho em sua essência. O que você prefere ser, uma contradição mundana ou um exemplo do que o evangelho pode fazer?
gentileza4Faça sua parte. Repense sua forma de falar e se relacionar. Se perceber que não tem sido tão gentil como Cristo seria, sugiro humildemente que procure se reinventar. Ore pelos que erram ao abraçar a agressividade achando que Deus se agrada disso. Compartilhe essa ideia, passe adiante esses valores. E que o Senhor nos ajude a sermos um corpo formado por membros amorosos, graciosos, compassivos, misericordiosos, pacíficos e pacificadores, amáveis, bondosos, com domínio próprio e mansos. Sejamos menos punhos cerrados e mais corações abertos. Sejamos cristãos.
fonte: Blog Apenas

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Deus é Justo

"Pois o Senhor é justo, e ama a justiça; os retos verão a sua face." (Salmos 11:7)

Deus não é somente a verdade, Deus não é somente sagrado ou santo. A Bíblia também ensina que Deus é justo. Santidade descreve Seu caráter, enquanto retidão e justiça descrevem como Ele lida com a humanidade. 

No livro de Êxodo, lemos sobre o Faraó, que endurece seu coração, segurando os filhos de Israel quando o Senhor lhe havia instruído a libertá-los. Como o Senhor enviou uma série de pragas para o Egito, o Faraó disse a Moisés e a Arão: "Desta vez eu pequei. O Senhor é justo; eu e o meu povo é que somos culpados" (Êxodo 9:27). 

Mesmo aquele coração endurecido do poderoso governante percebeu que o Senhor é justo. 

Sabemos que Deus é onipotente, todo-poderoso. Se Ele fosse todo-poderoso sem ser justo, Ele seria apenas um tirano celestial fazendo o que quisesse onde quer que Ele quisesse fazer. Se Ele fosse justo sem ser poderoso Ele seria incapaz de executar justiça sobre a Terra. 

Mas a boa notícia é que Deus é todo-poderoso e justo. O salmista diz: "Pois o Senhor é justo, e ama a justiça; os retos verão a sua face" (Salmos 11:7). 

Ele pode fazer o que quiser, mas Ele faz a coisa certa em todas as situações.
Devemos agradecer a Ele por isso!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Cerca de 20% dos americanos são “procrastinadores crônicos”

dicas-proscratinação-atepassar1
Publicado no The New York Times [via Folha de S.Paulo]
Esperei até o último minuto para escrever este texto. Esse fato não deve surpreender a ninguém.
Afinal, como Anna Della Subin escreveu no “NYT”, “a procrastinação é o arquidemônio com quem muitos de nós nos atracamos diariamente”.
Editora colaboradora da revista cultural “Bidoun”, Subin citou uma estimativa segundo a qual 20% dos americanos seriam “procrastinadores crônicos”.
Para alguns de nós, essa cifra parece muito baixa e mereceria ser pesquisada mais a fundo. Porém, vale a pena refletir sobre outra estimativa citada por Subin: que trilhões de dólares são perdidos todo ano devido a funcionários que atrasam ou adiam suas tarefas. Esses atrasos podem custar caro não apenas à economia como um todo, mas também aos próprios funcionários.
O professor de economia Sendhil Mullainathan, da Universidade Harvard, descreveu essa “luta” no “NYT”: “Amanhã queremos terminar aquele memorando, rever vários arquivos e planejar aquele projeto. Sabemos que parte do trabalho será entediante, mas os benefícios decorrentes, como avanço na carreira, senso de realização ou simplesmente garantir a sobrevivência, pesam mais que os custos. Mas, quando o amanhã vira hoje, descobrimos um sem-número de problemas urgentes. O tédio que prevíamos de repente parece imenso. Sentimos a tentação de tirar uma folga e simplesmente deixar nossa mente viajar livremente.”
Está claro que os procrastinadores têm consciência do que está acontecendo. Mullainathan descreveu um estudo em que ele e outros pesquisadores fizeram uma oferta a funcionários na Índia que registravam dados. Eles poderiam receber o valor diário de praxe, independentemente de quantas unidades de trabalho completassem. Ou poderiam aceitar um contrato pelo qual receberiam o mesmo valor diário, mas definiriam uma meta de trabalho diário a concluir, com a seguinte ressalva: se não alcançassem a meta, o pagamento do dia será cortado pelo meio. “As pessoas escolheram o segundo contrato, porque as ajudava a se esforçar mais e a ganhar mais”, escreveu Mullainathan.
Esse tipo de incentivo é um dos elementos que caracterizam a industrialização. Mullainathan destacou a afirmação de Greg Clark, professor da Universidade da Califórnia, em Davis, para quem a Revolução Industrial “foi em parte uma revolução do autocontrole”. “Como diz o professor Clark, em tese provocante: ‘Na prática, os trabalhadores contrataram capitalistas para fazê-los trabalhar mais duro. Eles não tinham o autocontrole necessário para conseguir ganhos mais altos por conta própria.'”
Assim, a fábrica trouxe disciplina que rendeu frutos tanto aos empregadores quanto aos operários. Mas Richard Conniff, que escreve sobre a produtividade de outras espécies, gostaria que todos relaxassem por um instante.
Ele escreveu no NYT: “Estou farto de fazer de conta que a utilidade é algo com importância real”.
Em seu trabalho, Conniff frequentemente é chamado a defender espécies silvestres ameaçadas. “É meu trabalho convencer as pessoas de que deveriam se importar”, escreveu. Isso geralmente requer chamar a atenção das aplicações práticas com que essas espécies beneficiam os humanos, como, por exemplo, um curativo mais suave para pele sensível, que imita a seda das teias de aranha.
Conniff entende a política de se atribuir metas de produção a aranhas, cobras ou abelhas. Mas, em última análise, para ele, a verdade é que: “A fauna e a flora são e deveriam ser inúteis, do mesmo modo que a arte, a música, a poesia e até os esportes são inúteis. São inúteis no sentido de que não fazem mais que levantar nosso astral, nos fazer rir ou chorar, nos assustar, nos perturbar ou nos alegrar. Eles nos conectam não tanto ao que é estranho, diferente ou outro, mas a um mundo em que nós, humanos, não temos tanta importância.

Facebook: 22 fatos e estatísticas que as marcas precisam conhecer

publicado na proXXima
O Facebook fechou mais um trimestre com estatísticas impressionantes. O aumento de 247% nos preços de anúncios, por exemplo, e a introdução de grupos dentro do aplicativo da rede social são algumas das novidades.
facebook-mobile-app
Confira abaixo 22 fatos e estatísticas da plataforma:
1. US$3.2 bilhões em receita total nos últimos 3 meses
2. A receita publicitária aumentou em 64% a cada ano
3. 1 bilhão de visualização de vídeos por dia em setembro
4. 8,3 mil funcionários, 40% a mais em relação ao ano passado
5. 1,5 milhão de anunciantes
6. US$766 milhões em fluxo de caixa livre no terceiro trimestre
7. 64% dos usuários mensais ativos acessam a rede social diariamente
8. 1,35 bilhão de pessoas acessam mensalmente
9. 703 milhões utilizam a versão mobile todos os dias (40% a mais que em 2013)
10. 700 milhões de pessoas utilizam os grupos do Facebook todo mês
11. WhatsApp tem 600 milhões de usuários ativos mensais, caminhando para 1 bilhão
12. 3 vilhões de links foram criados com o Facebook applink
13. Os preços dos anúncios aumentaram 247% devido à melhor qualidade
14. Impressões publicitárias totais diminuíram 56% no último ano
15. O volume de pagamento proveniente de games sofreu queda de 2% ao ano
16. Instagram tem 200 milhões de usuários, com a meta de atingir 1 bilhão
17. Usuários médio do Instagram gastam 21 minutos por dia no aplicativo
18. 1,12 bilhão de pessoas utilizam o Facebook mobile mensalmente, o que corresponde a um aumento de 250 milhões em relação ao ano passado.
19. O mobile representa 66% da receita publicitária. Em 2013, a porcentagem era de 49%
20. Usuários respondem 20% mais rápido no aplicativo do Facebook messenger em comparação ao Facebook messenger nativo
21. 864 milhões de usuários ativos diários. No segundo trimestre deste ano, o número era de 829 milhões
22. 1 bilhão de engajamentos, semanalmente, entre figuras públicas e seus fãs.
O que esses números significam?
1. Crie conteúdo relevante de qualidade
Com o surgimento de ferramentas que ajudam a criar conteúdo mais rápido, a concorrência por um espaço no feed de notícias do Facebook só vai aumentar. Por isso, para conquistar altas taxas de engajamento, as marcas devem investir em histórias personalizadas e experiências para os fãs.
2. Os anúncios do Facebook devem ser mais eficientes
Os preços dos anúncios aumentara em 247%! Isso significa que as empresas deverão saber mais sobre seus consumidores caso queiram gerar um ROI positivo com anúncios na rede social. Uma estratégia simples, mas eficiente, é coletar o e-mail dos fãs da marca no Facebook e resegmentá-los atualizando seus e-mails na plataforma de publicidade da rede social.
O que vem em seguida?
1. Facebook vai levar grupos para dentro do seu aplicativo no ano que vem
Mark Zuckerberg já afirmou seu interesse no mobile, além de declarar que os esforços do Facebook em conectar o mundo, atingindo 1 bilhão de usuários por aplicativo, é um marco crítico para iniciar a monetização.
2. Facebook não vai desenvolver sua própria plataforma de pagamento
Apesar das especulações, o Facebook não vai desenvolver uma plataforma de pagamento e pretende, em vez disso, criar uma experiência de pagamento na plataforma.
3. A missão do Facebook é conectar o mundo
Em 3 anos, o Facebook pretende aumentar e servir sua comunidade atual de 864 milhões de usuários ativos. Em 5 anos, a rede social vai focar no Messenger, WhatsApp, search e Instagram para que atinjam 1 bilhão de usuários. Já os planos a longo prazo – 10 anos -, incluem conectar a população mundial com o projeto Internet.org e criar a próxima geração de plataformas computacionais com o Oculus Rift.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Igreja constroi templo gigante feito com peças de um brinquedo. Veja fotos

Uma igreja da cidade de Enschede, na Holanda, está chamando a atenção da população local. Diferentemente de todas as igrejas, que tem suas construções feitas de concreto, a estrutura dessa igreja foi construída com peças enormes do brinquedo Lego, e mais se parece com um cenário de desenho animado do que com uma igreja.

Todos os detalhes do prédio e até a torre do sino foram feitos com o mesmo material, incluindo os detalhes do templo. A igreja de feita de Legos está abrigando os de cultos de domingo e casamentos. A estrutura é provisória, mas a Igreja Reformada de Enschede já abrigou até um festival de artes em seu templo.

Muitos visitantes tem sido atraídos para o local e se encantado com a estrutura diferente para um templo. As igrejas europeias geralmente possuem templos com arquitetura de estilo barroco, gótico, medieval ou moderna.