sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Facebook terá botão “Refazer amizade”


Publicado impagavelmente no Sensacionalista
Passado o longo período eleitoral que causou o fim de amizades e separação de familiares, o Facebook resolveu dar uma mão no processo de pacificação e resolveu implementar o botão “Refazer amizade”.
A empresa fez um levantamento e percebeu que o clima de guerra entre amigos poderia fazer com que menos pessoas acessassem a rede social, provocando perda de faturamento.
A ideia é recuperar as amizades que foram bloqueadas por excesso de petralhagem ou overdose de coxismo. O usuário clicará no botão e enviará um convite para o ex-amigo. Quem receber o convite para refazer a amizade poderá responder com um “sim” ou com o bocão “socar”.

Trabalhadores terão 11 feriadões para enforcar em 2015, fora carnaval e Semana Santa

foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo

Rafaella Barros, no Extra
Outubro nem acabou e já circula em grupos do WhatsApp uma mensagem sobre os feriados de 2015. Ao contrário do que aconteceu este ano, quase todas as datas serão no meio da semana, gerando expectativas nos trabalhadores quanto aos dias de descanso. No Rio, serão nada menos que 11 feriadões — fora carnaval e Semana Santa, já tradicionais.
A avalanche de feriado, no entanto, divide a economia do país. Se, por um lado, setores ligados ao turismo lucram mais, por outro, o comércio sofre grandes perdas. O Clube de Diretores Lojistas do Rio (CDL-Rio) estima que, num único feriado de meio de semana, o comércio da capital fluminense deixa de faturar cerca de R$ 370 milhões.
Aldo Gonçalves, que preside o CDL e também o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (Sindilojas Rio) explica que a entidade tem um convênio com o sindicato dos empregados do comércio, que prevê a abertura das lojas em feriados. Muitas vezes, porém, não compensaria abrir os estabelecimentos nessas datas, pois o empresário tem custos, mas não tem clientela.
— O feriadão só é bom para o pessoal do turismo: restaurantes, hotéis… Porque o Rio atrai muita gente. Mas, de um modo geral, é sempre perda de vendas.
A empresária Sabina Sommer, de 63 anos, ficou estarrecida ao saber da quantidade de feriados em dias que seriam úteis no ano que vem.
— Os feriados teriam que ser jogados para os fins de semana, para o país andar. Eles significam que o funcionário público não trabalha, que todo escritório e consultório médico fecha… Com isso, não tenho como abrir (a loja) — diz a dona da loja Camisa Expressa, no Centro do Rio.
O motivo dela é o da felicidade do ambulante Raimundo Oliveira, de 44 anos, que vende cangas e chapéus na Praia de Copacabana:
— As vendas aumentam uns 30% nos feriados, porque vem muita gente do interior do Espírito Santo, de Minas, da Bahia…
Enquanto Raimundo comemora a chegada de pessoas à cidade, os funcionários da agência da CVC do Centro vibram com a saída.
— Quando os feriados caem na terça ou na quinta-feira, as pessoas costumam emendar, o que acaba facilitando para as viagens. Os destinos mais procurados são Natal, Porto Seguro, Foz do Iguaçu, Balneário Camboriú e São Paulo — conta a gerente Valdinisia Aquino.
O secretário de Turismo do Rio, Antonio Pedro de Mello, tenta resolver essa equação:
— Trabalhamos para tornar essas datas mais atrativas entre cariocas e minimizar o impacto negativo no comércio.
— Para a gente que é do comércio, quanto menos feriados houver, melhor. Porque o movimento cai bastante, principalmente aqui no Centro (do Rio). Em alguns bairros, as lojas funcionam. Mas aqui, não. Como as pessoas não vêm ao trabalho, o movimento cai. Com esses feriados, a queda nas vendas, durante os dias que são enforcados, chega a ser de cerca de 60% — afirma Danielle Passos, de 32 anos, dona da loja “As Cariocas Fashion“.
calendario-feriados-prolongados-2015-01

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

“Há má fé nas críticas ao decreto 8243″: a cientista social Thamy Pogrebinschi fala ao DCM


Thamy Pogrebinschi

Publicado Originalmente no DCM

Este texto foi publicado em 24 de julho de 2014. Republicamos agora porque a essência dele — o decreto presidencial 8.243 — voltou ao centro dos debates políticos do país.

No dia 23 de maio, o decreto presidencial 8.243 foi lançado e causou a revolta de veículos de imprensa no Brasil. O documento, assinado por Dilma, institui a Política Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema Nacional de Participação Social (SNPS).

O jornal O Estado de S.Paulo publicou um editorial no dia 29 de maio afirmando que o decreto estava provocando uma “mudança de regime” e que era um oportunismo do governo Dilma que “felizmente desistiu da Assembleia Constituinte”.
No dia 19 de junho, a professora de ciências sociais e pesquisadora sênior do WZB Social Science Center em Berlim, na Alemanha, chamada Thamy Pogrebinschi publicou um artigo no site da revista Carta Capital com o nome “Novo decreto: Não há representação sem participação”.

O DCM conversou com ela sobre o decreto, a reação da mídia e o fortalecimento dos movimentos sociais.

Por que você acredita que Dilma tomou essa atitude de abrir um espaço para movimentos sociais? 
Um maior diálogo entre estado e sociedade é uma característica de governos do PT, que consideram a participação como um “método democrático de gestão”. Durante o governo Lula, movimentos sociais que antes protestavam nas portas dos ministérios passaram a ter acesso aos mesmos, sentando-se junto com representantes do governo para discutir suas demandas e debater políticas de forma compartilhada.

O diálogo com os movimentos sociais, contudo, diminuiu de forma perceptível no governo Dilma, especialmente se comparamos com Lula. Houve e há ainda uma série de tensões, mas isso não significa que canais foram fechados. Prova disso é justamente o recente diálogo com o MTST, o qual demonstra que há espaços para diálogo e eles podem vir a ser mobilizados também por outros movimentos que vem buscando se fazer ouvir desde os processos iniciados em junho de 2013. O governo tem dado indicações de ter percebido que a área de infraestrutura requer mais prioridade e maior participação. Quem contribuiu definitivamente para isso foi o Movimento Passe Livre.

Suas considerações sobre o decreto presidencial estão relacionadas com sua pesquisa em Berlim?
Sim, e também com pesquisas que venho fazendo desde 2009 no Instituto de Estudos Sociais e Políticos, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ).

O Estadão e diversos colunistas, como o blogueiro Reinaldo Azevedo, dizem que o decreto é inconstitucional e um caminho para a ditadura. Por quê?
Isso é não apenas falso, mas também absurdo. Típico da imprensa histriônica, que chama atenção para si mesma no Brasil. Essas afirmações chegam a ser cômicas, não fosse triste o fato de milhares de pessoas acreditarem sem perceber a manipulação e a desinformação. A Constituição de 1988 estabeleceu, em seu texto original, as bases de uma democracia mais participativa, a qual vem sendo institucionalizada por meio de diversos atos administrativos e legislativos, inclusive sucessivas emendas constitucionais. O decreto não cria nada de novo.

Tudo o que ele busca sistematizar e organizar já existe desde bem antes de o PT chegar ao governo federal. Em 2003, quando Lula chegou à presidência, já havia 28 mil conselhos gestores de políticas espalhados pelo Brasil. Desde essa época, os conselhos municipais de saúde, que já eram cerca de cinco mil em 2003, praticamente um por município, já atuavam na formulação e monitoramento das políticas, fazendo valer nada mais do que a diretriz de “participação da comunidade” estabelecida pelos constituintes de 1988.

Exatamente as duas principais instâncias participativas regulamentadas pelo decreto e atacadas pela mídia conservadora, os conselhos e as conferências, não são nenhuma novidade e nem foram criados por uma canetada do Executivo. O próprio Poder Legislativo, ao longo de diversas legislaturas e governos, vem contribuindo para consolidar o que o decreto tenta apenas organizar. No caso, é um sistema nacional de participação. Diante desses fatos, vê-se que o problema dos que se opõem ao decreto não é a desinformação, e há uma enorme má-fé em jogo.

Você afirma que este decreto pode ser uma oportunidade para debate da a Lei de Segurança Alimentar e Nutricional, o Estatuto da Igualdade Racial, o Estatuto do Idoso, o Estatuto da Juventude, entre outras propostas. Como seria este debate?
Todos esses exemplos são, já, resultado deste debate. Eles consistem em leis, votadas e aprovadas pelo Congresso Nacional, após extensa deliberação em conselhos e conferências. Esses espaços permitem a construção de uma agenda compartilhada, possibilitam uma convergência de preferências e opiniões, e quando o Legislativo também indica convergir com as diretrizes ali confeccionadas, propondo e aprovando leis cujo conteúdo reflete tais debates, tem-se um aprofundamento democrático importante.

Os conselhos têm poder de decisão?
Conselhos e conferências não têm poder decisório. Jamais o tiveram e o decreto não determina que tenham. Nem todos os conselhos são considerados deliberativos, isto é, podem emitir resoluções, com limitado alcance administrativo. Do ponto de vista da defesa de uma democracia mais genuinamente participativa, portanto, o decreto pode ser até criticado por sua timidez. Diversos mecanismos participativos praticados nas democracias mais estabelecidas do mundo preveem que seus resultados sejam implementados diretamente ou submetidos a um referendo popular, prescindindo, portanto, da intervenção legislativa. Este não é o caso do Brasil, daí o absurdo das afirmações de que o decreto busca solapar o Poder Legislativo.

Como podemos melhorar nossos representantes através de movimentos sociais?
Não há antagonismo entre representação e participação e, mais do que complementaridade, há, desde sempre, interdependência entre ambas. O voto, sem o qual não há representação, é justamente uma forma de participação. Por outro lado, as deliberações de mecanismos participativos seriam ineficazes sem os representantes eleitos que os transformam em leis e políticas públicas. Assim como não há representação sem participação, também não há participação sem representação.

Hoje, o que se assiste no mundo é uma ampliação tanto das formas de representação quanto das formas de participação. ONGs e movimentos sociais abrem espaço para uma nova forma de representação quenão se origina em um mandato ou autorização providos pelo voto, assim como acontece com bancos centrais, agências reguladoras e organizações internacionais sem que se discuta a sua legitimidade.

Novas formas de participação além do voto são adotadas em democracias bastante avançadas como Suíça, Finlândia, Dinamarca, Alemanha, Canadá e até nos Estados Unidos. Lá eles querem combater a chamada “crise da democracia” permitindo que os cidadãos participem em outros momentos e de outras formas além do voto.

Como você enxerga a atitude do governo com as manifestações durante a Copa do Mundo?
A brutal repressão policial aos protestos e movimentos é um lastro remanescente da ditadura em nossa democracia. É preciso separar as políticas do governo federal das ações dos governos estaduais, assim como da Polícia e do Ministério Público. No entanto, não podemos ficar calados diante disso.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

8 técnicas pra memorizar as coisas que você aprende

publicado na Galileu
Como anda sua memória? De acordo com estudo científicos, sua resposta só é honesta se você disser: mal, bem mal. É que pesquisas mostram que nos lembramos apenas de 10% daquilo que aprendemos. Os outros 90% são esquecidos rapidamente, logo depois que a gente aprende.
Infelizmente, não dá pra escrever esse argumento no vestibular e passar na faculdade, ou então dizer pro professor e esperar aprovação na prova. Especialmente no ensino tradicional, que quase sempre avalia a capacidade de reproduzir conteúdo, a memória é fundamental. Por isso, se você conhecer algumas técnicas que te ajudem a memorizar as coisas que você aprende, pode sair na frente. Confira:

1. Ler e ouvir não bastam

A melhor maneira de aprender é discutindo em grupo ou ensinando o que se está tentando aprender. É que se concentrar é muito mais fácil (mandatório, até) quando você está conversando com alguém sobre um tema ou explicando aquilo. Ler ou ouvir alguém falando é muito mais suscetível a distrações e interrupções no seu processo de concentração.
2. Ache um enfoque do assunto que lhe interesse
É mais fácil lembrar de algo do seu interesse do que de algo que não lhe interessa – óbvio. É por isso que, se você gosta de uma matéria, provavelmente tem muito mais facilidade em aprendê-la. Tente achar um enfoque dentro de um assunto que não te interesse tanto, um recorte ou uma abordagem que tenha mais apelo pro seu gosto pessoal. Depois, na vida adulta, se possível, estude só o que você gosta. A vida vai ser mais fácil.
3. Concentre-se
Deixe de lado as notificações do celular e foque no que está estudando. Se você estiver cansado ou distraído, é muito mais difícil para o cérebro fixar o conteúdo com o qual você está tomando contato.
4. Lembretes na hora certa
Há horas melhores e piores para se lembrar de algo que você aprendeu (e o resgate desse conteúdo ajuda você a fixar as coisas na memória). Se você precisa fixar algum conteúdo, a dica é: estude, estude de novo dali uma hora e depois de 24 horas. Ou use o SuperMemo, um site que calcula o tempo exato em que você vai se esquecer de algo e te ajuda a lembrar imediatamente antes de esquecer.
5. Descanse
Faça pausas entre os estudos. Não dá pra saber exatamente quanto e como você deve parar porque isso varia de indivíduo para indivíduo, mas uma boa técnica é estudar por 45 minutos, que é o tempo máximo que alguém consegue se focar em uma tarefa, na média, e dar uma pausa de 15 a 20 minutos antes de recomeçar. De novo, isso pode variar, então fique atento aos sinais da sua mente.
6. Antes de dormir, logo que levantar
Estudar nessas horas é uma boa maneira de fixar conteúdo, por causa das substâncias químicas liberadas pelo cérebro nesses horários.
7. Faça conexões entre o que você aprende e o que você já sabe
Aprender é um processo conectado, e não individual. Uma maneira excelente de fixar algo novo é conectando isso com algo que você já saiba ou conheça. Por exemplo: ao aprender uma palavra nova em outra língua, você pode tentar conectá-la com um som com que ela se pareça em uma língua que você já conheça, por exemplo.

8. Reflita sobre o que você aprendeu

Reserve 15 a 20 minutos entre cada sessão de estudo pra refletir sobre o que você acaba de aprender. Essa reflexão sobre o conteúdo, que provavelmente vai fazer você questionar e correlacionar o aprendizado com coisas que já sabe, também ajuda a fixar coisas na memória.

Dizer obrigado à equipe é um dos 13 hábitos do profissional bem-sucedido ao fim do dia

publicado no O Globo
Atualizar lista de tarefas, dar a última checada no e-mail, fazer um balanço do que foi feito no dia. Enquanto alguns profissionais passem os últimos minutos do expediente de olho no relógio, outros aproveitam os últimos instantes na empresa, checando tarefas e se organizando para enfrentar a agenda do dia seguinte.
“Como você termina o dia de trabalho é muito importante”, diz Michael Kerr, palestrante internacional de empresas e autor de “You Can’t Be Serious! Putting Humor to Work” (“Você não pode estar falando sério! Colocando humor no trabalho”, em tradução livre). Segundo ele, “Isto pode definir o seu estado de espírito para o resto do dia, pois isso pode afetar suas relações pessoais, o nível geral de satisfação, e quão bem você irá dormir naquela noite. Além disso, irá definir o cenário para o seguinte”.
Lynn Taylor, especialista em ambiente de trabalho, afirma em artigo do site americano Business Insider, que as pessoas mais bem-sucedidas normalmente têm uma rotina durante a qual tentam mitigar tarefas que possam atrasá-las ou impedi-las de terem foco nos eventos da manhã seguinte.
traba
Diante deste cenário, o Business Insider listou alguns dos hábitos que esses profissionais bem-sucedidos cumprem nos últimos dez minutos da jornada de trabalho.
Costumam dizer obrigado. Grandes ambientes de trabalho são construídos com uma base de gratidão e reconhecimento. O hábito de agradecer quem lhe ajudou durante o dia, no fim da jornada de trabalho, é uma forma extremamente eficaz de contribuir para um bom ambiente de trabalho.
Atualizam suas listas de tarefas. Os profissionais bem-sucedidos sempre estão de olho na lista com seus afazeres. No fim do dia, verificam o progresso do dia e se finalizaram algumas das tarefas e atualizam o que ficou para ser feito no dia seguinte.
Se despedem dos colegas ao fim do dia. Desejar boa tarde ou boa noite de forma amigável é uma atitude pouco valorizada, mesmo requerendo pouco esforço. Lembre-se que o cumprimento lembra ao seu chefe e à equipe que, além de profissional, você é uma pessoa educada.
Organizam sua mesa, computador e ambiente de trabalho. Os projetos levam muito mais tempo para ser concluídos quando não somos organizados. Por isso, dizem os especialistas, ter um ambiente de trabalho e a mesa em ordem ajuda a pensar com clareza e dar prioridade às coisas de forma mais eficaz. E, também, facilita na hora de encontrar mais rapidamente os documentos importantes na hora que precisar. Por essas e outras, profissionais bem-sucedidos se preocupam em organizar a mesa e os arquivos no computador, salvando os documentos nas pastas corretas.
Vão embora de bom humor. Sair do escritório sorrindo deixa um clima mais agradável para você e os colegas de trabalho. Os líderes bem-sucedidos costumam deixar uma boa impressão no fim do expediente, e este clima irá durar até a manhã seguinte, diz Lynn Taylor.
Analisam o que já fizeram. Lynn Taylor diz que, além de se concentrar no que ainda precisa ser feito, é importante olhar para trás e ver o que já foi feito. Da mesma opinião, Michael Kerr acredita que separar um minuto para fazer este tipo de reflexão pode deixar o funcionário com um sentimento de realização e, num dia particularmente difícil e agitado, vai ver que conseguiu fazer muito mais do que acreditava.
Simplesmente vão embora. Os profissionais de sucesso evitam a tentação de ficar enrolando no escritório. Eles sabem como é importante o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, por isso tentam sair do escritório em uma hora decente. “Ficar por ficar, sem nenhuma boa razão, irá limitar seu nível de energia para quando precisar no dia seguinte”, explica Taylor.
Param por um momento para refletir sobre o dia. As pessoas de sucesso refletem sobre os projetos do dia, e analisam por quais motivos deram certo ou errado durante o expediente. “Os profissionais experientes sabem que, se não estão aprendendo, não estão crescendo”, diz Lynn Taylor.
Identificam as mensagens urgentes. Você está perto de sair do trabalho, mas continua recebendo e-mails, telefonemas e outras demandas variadas. Sejam urgentes ou não. Profissionais eficientes sabem distinguir quais precisam de uma resposta imediata e o que pode esperar até o próximo dia de trabalho.
Mantêm o foco. As pessoas bem-sucedidas não se distraem com atividades que não são relacionadas com o trabalho no fim do dia. “Este é um momento em que sua mente pode se dispersar. Normalmente, não somos tão focados no final do expediente”, explica Taylor.
Definem seus principais objetivos para o dia seguinte. Os profissionais de sucesso têm uma lista diária de tarefas e sabem identificar os principais objetivos para o dia seguinte. Quanto mais organizada for essa agenda, mais a pessoa pode ser capaz de se concentrar no resto do dia, com a cabeça fria, e ficar pronto para trabalhar no dia posterior, afirma a especialista em ambiente de trabalho.
Permitem que os colegas de trabalho saibam como entrar em contato até o dia seguinte. As pessoas mais bem-sucedidas avisam a seus chefes e colegas se estarão ou não disponíveis, fora do expediente, até a manhã seguinte, seja pelo e-mail ou celular. Mas não necessariamente ele ficar checando o e-mail corporativo durante suas horas de descanso.
Checam sua agenda da manhã seguinte. A pior maneira de começar o dia é chegar no trabalho e descobrir que você tem uma reunião em cinco mimutos. As pessoas de sucesso verificam a agenda e buscam rever como o dia seguinte vai se desenrolar. Isso, segundo Kerr, permite que elas cheguem para o próximo dia útil melhor preparados, mais confiantes e menos estressados.

Brasileiro de 25 anos é pago para viajar e postar fotos no Instagram

Carioca é ‘instagrammer profissional’, trabalho pouco conhecido no país.
Ele é contratado para divulgar destinos; veja dicas para fotografar viagens.

Paulo del Valle com um camelo em Dubai (foto: Paulo del Valle/Divulgação)
Paulo del Valle com um camelo em Dubai (foto: Paulo del Valle/Divulgação)

Flávia Mantovani, no G1
Conhecer belos lugares pelo mundo, postar fotos no Instagram e ainda ganhar dinheiro para isso. Esse emprego dos sonhos se tornou uma realidade para Paulo del Valle, um carioca de 25 anos que é uma das poucas pessoas no mundo a ter a profissão de “instagrammer profissional”.
Paulo é pago por empresas e órgãos governamentais que promovem destinos turísticos para ir até o local, tirar fotos bonitas e postá-las em seu perfil nessa rede social, onde tem mais de 252 mil seguidores.
Desde que começou a se dedicar integralmente a esse trabalho, no início deste ano, ele já esteve na Austrália, nos EUA, em Israel e em Dubai, além de em Santa Catarina e na Bahia.
O que hoje é profissão começou como um hobby desinteressado. O estudante de design fez um perfil no Instagram em 2011, três meses depois que a plataforma de compartilhamento de fotos foi lançada. Postava principalmente fotos do Rio de Janeiro, onde mora, tiradas com seu iPhone.
A qualidade das imagens chamou a atenção da equipe do Instagram, e em 2012 ele passou a ser um “usuário sugerido” — uma espécie de usuário modelo, que posta fotos boas com frequência e interage bastante com outros membros.
“Não tinha nem ideia de que isso existia. Eu nem era fotógrafo, tirava fotos dos meus amigos, de pedras, plantas, coisas aleatórias”, diz. Em duas semanas, seu número de seguidores cresceu de 1.400 para 34 mil.

Foto tirada em mesquita de Abu Dhabi (foto: Paulo del Valle/Divulgação)
Foto tirada em mesquita de Abu Dhabi (foto: Paulo del Valle/Divulgação)

Viagens
Paulo então estudou fotografia por contra própria, em livros e na internet. Trocou o celular por uma câmera e pouco tempo depois recebeu um convite de uma “instagrammer profissional” australiana para ir até o seu país, junto com outros usuários que se destacavam na rede social. O grupo viajou pela Austrália divulgando fotos dos destinos em seus perfis, para despertar em seus seguidores a vontade de conhecer o país.
Foi lá que ele viu que aquilo podia se tornar uma profissão e decidiu abandonar a marca de roupas que ele tinha com amigos. “Conheci esse novo universo e vi que aquilo era o que eu queria fazer. Meu sonho sempre foi conhecer o mundo”, diz ele.
Em seguida veio um convite para conhecer Israel e outro para ir a Florianópolis fazer trabalhos para uma marca de automóveis. Durante a Copa do Mundo no Brasil, uma marca esportiva o convidou para um trabalho em Salvador. Depois foi o órgão de promoção turística de Dubai que o chamou para gravar um programa de viagens no país.
Paulo também recebeu um convite para conhecer a sede do Instagram na Califórnia, e foi para lá com amigos.
Experiências
Durante as viagens, o brasileiro andou de camelo no deserto e de caiaque com golfinhos, segurou um bebê canguru e flutuou no Mar Morto, entre outras experiências que ele diz que nunca vai esquecer. “Fui a lugares para onde jamais pensaria em ir. Foram oportunidades incríveis”, afirma ele, que até então só tinha saído do Brasil para ir aos Estados Unidos.
Paulo diz que sua profissão está crescendo fora do país e acredita que pode se expandir também por aqui, apesar de não saber quanto tempo a tendência vai durar. “Não sei o que o futuro me reserva. Mas estou aproveitando muito o momento”, completa

Foto de Paulo em parque nos Estados Unidos (foto: Paulo del Valle/Divulgação)
Foto de Paulo em parque nos Estados Unidos (foto: Paulo del Valle/Divulgação)

Veja as dicas de Paulo del Valle para tirar boas fotos de viagem com o celular
1 – Limpe a lente da câmera do seu celular. É comum lembrarmos de limpar a tela, mas não a lente. Isso pode influenciar no resultado das fotos.
2 – Sempre segure o celular firmemente com as duas mãos. É muito importante para que as fotos não saiam tremidas.
3 – Jamais use o zoom do celular. Ele não é um zoom ótico, como nas câmeras, e só piora a qualidade das suas fotos.
4 – Evite tirar fotos diretamente contra a luz do sol, para evitar que feixes de luz (flare) saiam na imagem. Se aparecer “flare” ao tirar a foto, coloque sua mão acima do celular, tentando bloquear a luz do sol.
5 – Ao tirar selfies, prefira a câmera traseira do celular, que possui maior qualidade, usando a função de timer (disponível no iOS 8 e alguns aplicativos). Utilizar o botão do fone de ouvido também é uma boa opção para esse tipo de foto.
6 – Acessórios são importantes. As baterias dos smartphones não aguentam o dia todo, principalmente tirando fotos. Compre uma bateria externa para garantir que não perderá chances de tirar fotos durante todo o dia. Pequenos tripés, feitos para celulares, são ótimos para aquelas situações em que não tem ninguém para tirar fotos ou quem quer tirar fotos mais avançadas, como de longa exposição e HDR.
7 – Tire muitas fotos durante o dia e deixe para editá-las depois, quando tiver tempo. Tenha paciência nesse processo, pois uma boa edição manual (controlando brilho, contraste, saturação etc.) faz toda diferença.
8 – Entenda como funciona a câmera do seu celular. No iPhone, você pode tocar na tela para focar, arrastar o dedo para controlar a exposição de luz, “trancar” o foco e usar o botão de aumentar o volume para tirar fotos. Ferramentas como HDR garantem melhores fotos no pôr do sol e no contra-luz, mas é necessário manter as mãos muito firmes ou usar um tripé, pois o telefone tira 3 fotos ao mesmo tempo e as junta em uma só.
9 – Vá além da câmera nativa do seu celular para fazer melhores fotos e vídeos. Algumas dicas de aplicativos:
– Camera+ (iOS): Tem recursos manuais, como ajustar a velocidade do obturador (ideal para fotos em movimento e de pulos), permite tirar várias fotos por segundo, possui timer, foco manual e muitas outras funções.
– Cortex Camera (iOS): Permite tirar fotos de ótima qualidade em baixas condições de luz, sem a necessidade de flash.
– Average Cam Pro (iOS): Faz fotos com aspecto profissional de longa exposição com o iPhone e dá um efeito incrível a fotos de cachoeiras e mar. Exige o uso de um tripé.
– Hyperlapse (iOS): Para fazer timelapses das viagens sem a necessidade de equipamentos caros, como câmera e tripé.
10  Utilize aplicativos para editar suas fotos e vídeos. Algumas dicas:
– VSCOcam (iOS e Android – Grátis): Tem filtros incríveis disponíveis gratuitamente, além de opções pagas.
– Snapseed (iOS e Android – Grátis): Oferece muitas ferramentas de edição manual.
– TouchRetouch (iOS e Android): Ótimo para dar retoque final, removendo coisas indesejadas de fotos, como lixo na rua ou imperfeições no rosto.
– Over (iOS e Android): Bom para escrever textos sobre as fotos de viagens, com muitas fontes e gráficos.
– Mappr (iOS): Permite colocar a localização de qualquer lugar do mundo nas fotos.
– Videon (iOS): Permite editar filmes controlando brilho, contraste, saturação e muito mais. Oferece ainda muitos filtros, junção de vários vídeos e adição de trilha sonora.

Qual o seu propósito de vida?


"E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo" (Filipenses 3:8)


Qual é o seu propósito de vida? Todo mundo tem um. Alguns de nós o declaram, outros apenas o praticam. Todos temos algo que é nosso propósito na vida, algo que nos faz levantar de manhã, algo que nos faz viver e pelo qual estaríamos dispostos até a morrer. Pode ser alcançar um determinado nível de conforto, uma quantidade de bens, ser feliz, ser famoso, ser um intelectual...
- Você já se perguntou qual é o seu propósito de vida?

O apóstolo Paulo determinou que seu propósito na vida era conhecer o Senhor. Paulo escreveu para a igreja em Filipos: "Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo." (Filipenses 3:7-8)

Paulo reconheceu a maravilha que era tornar-se mais intimamente ligado a Ele. Deus pode e quer ser conhecido. Talvez não possamos compreendê-Lo completamente, mas podemos conhecê-lo de uma maneira absolutamente pessoal e muito real.

Que grande propósito de vida teve o apóstolo Paulo. Espero que este também possa ser o seu.

8 provas definitivas que o ano já acabou e você não tá sabendo

publicado no BuzzFeed
1. Já estamos no horário de verão \o/
1
2. Daqui 50 dias as aulas acabam e chegam as Férias!!!!!
enhanced-22413-1413898099-9
E tudo isso só porque teve Copa então atrasou tudo.
3. Faltam apenas 60 dias para o Natal.
anigif_enhanced-buzz-22858-1413907267-14
4. Inclusive já começaram as decorações.

enhanced-buzz-4131-1413896421-9
Essa ai de cima é de Palmas. Quem também já deu a largada foi Gramado e Cascavel.
5. E os clássicos Panetones já estão nas prateleiras.
enhanced-buzz-1548-1413896645-23
6. Quem também já está ai é o Reveillon. Faltam apenas 67 dias para a virada!
anigif_enhanced-buzz-26491-1413906961-35
7. E 115 dias para o Carnaval <3
anigif_enhanced-9516-1413907139-6
8. Inclusive, já começou a escolha das rainhas de bateria.
rainha
Susana Vieira foi coroada a rainha da Grande Rio ao som de Valesca Popozuda.

VEM 2015!!!

2015

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Campanha: Doe um brinquedo no Natal!

Publicado Originalmente no Blog Geekiss
Hey geeks!
Hoje vim falar de uma coisa diferente aqui no blog. Apesar de não parecer, isso aqui ainda é um “blog pessoal”, então vim compartilhar um pouco do meu Natal com vocês, e também apelar a quem puder/quiser ajudar :) Então se você não tem interesse nenhum em saber da minha vida ou não comemora o Natal, pode parar a leitura por aqui hahaha!
Há 24 anos a minha família distribui brinquedos para as crianças de um bairro muito humilde de Ibiúna, uma cidade do interior de São Paulo. Minha avó era costureira, e antes de falecer estava com um pequeno projeto em andamento para presentear as crianças da vizinhança no Natal. Quando minha mãe e minha tia foram separar as coisas para doar à uma igreja, acharam dezenas de roupas que ela estava fazendo para dar de presente. Então elas terminaram de costurar as blusinhas e shorts, colocando elásticos e fazendo os acabamentos, juntaram uns saquinhos de bala, e foi assim a primeira distribuição de presentes no bairro do Paiol Pequeno.
O que foi a princípio apenas para cumprir um desejo da minha avó, ao longo dos anos acabou virando uma tradição no bairro, e o número de crianças foi crescendo muito. Famílias inteiras vêm de bairros mais distantes e crianças começam a formar uma fila em frente à garagem da casa por volta das 5h da manhã, mesmo sabendo que só chegamos muito mais tarde. As vezes está muito sol, as vezes está chovendo, mas a fila está sempre lá. Atualmente, distribuímos presentes para cerca de 300 crianças. As crianças que ganhavam presentes em 1991 agora trazem no colo seus próprios filhos para receber o presentinho de Natal, assim como avós pedem para levar para seus netos, e muitos adultos pedem, meio sem jeito, para levar uma lembrancinha para eles mesmos.
Cá entre nós, esse post vale a pena só pela quantidade de fotos idosas, tipo eu com sei lá, 12-13 anos, o meu primo vestido de “ajudante do papai noel”, etc. Hahahaha ainda que eu não digitalizei as fotos realmente antigas, mas quem sabe um dia. xD
Pérola de Natal: Ami e Fernando pirralhos e à carater! hahahaha
HAHAHAHA OLHA A MINHA CARA
Eu não conheço outra forma de passar o dia de Natal, a minha vida inteira foi assim. Acordar, carregar os brinquedos e doces nos carros e ir para Ibiúna entregá-los. Chegando lá, nós distribuimos os brinquedos em prateleiras, como uma “vitrine” e deixamos as crianças entrarem aos poucos para escolher o seu presente. Poderíamos simplesmente distribuir um para cada um, mas gostamos de deixar as crianças terem escolha, afinal, elas não tem muitas oportunidades de escolher alguma coisa no resto do ano.
Nos últimos anos temos recebido a ajuda de alguns amigos, mas mesmo assim está cada vez mais difícil de “dar conta” de tantas crianças, que aumentam a cada ano. Mesmo que os presentes sejam simples, como bonecas, carrinhos, bolas, panelinhas e outras coisinhas, como somos apenas uma família “agindo por conta própria” – isto é, sem a ajuda de alguma instituição, colaboradores, etc – nos preocupamos em ter presentes e doces para todos que batem à nossa porta. Todos os anos, imaginamos como melhorar a qualidade dos presentes, mas como o número de crianças continua crescendo, acabamos fazendo o que cabe no orçamento.
Então este é o meu apelo: Se você tiver brinquedos em bom estado para doar, bichinhos de pelúcia, bola, bonecos, carrinhos, qualquer outra coisa que estejam em bom estado e que queira passar para uma criança neste Natal, nós aceitamos com muito, muito, muito apreço!
Somos de São Paulo, por isso fica mais fácil combinar de receber as doações de quem mora por aqui, mas quem for de outros lugares e quiser ajudar também, entrem em contato! :)
Quem quiser/puder colaborar de alguma maneira, veja os detalhes abaixo no update deste ano! hahahaha <3
Enfim, era isso! Desculpem pelo post “nada a ver” com o blog, mas o Natal já está chegando e não podemos esquecer dos pequenos geeks que não tem a oportunidade de ter gadgets legais como nós, né?
Kissus!

[update de 2013]

Agora fizemos uma Vakinha online, pra quem quiser contribuir com qualquer quantia a partir de 5 reais :) O link para a “vaquinha” está aqui em baixo.
Pra quem não acompanhou, a Vakinha de 2013 foi um suuuper sucesso! Conseguimos arrecadar o suficiente para comprarmos mais de 150 brinquedos, muito obrigada a todos que ajudaram a fazer o natal das crianças de Ibiúna mais feliz!

[/update 2013]

[update 2014]

Este ano temos um vídeo novo! Um amigo da minha tia, Gui Missumi, foi acompanhar a distribuição dos presentes do ano passado e fez um video com depoimentos dos meus pais e imagens do natal! Yaaaay!
E o link da Vakinha deste ano está aqui: http://www10.vakinha.com.br/VaquinhaE.aspx?e=289779 para quem quiser/puder doar! Quem for daqui de São Paulo e quiser/puder doar brinquedos usados, bichinhos de pelúcia, etc,  é só entrar em contato aqui nos comentários ou lá nas inbox da fanpage!

[/update 2014]